Por Assessoria Parlamentar
 

O alarmante número de mortes pela Covid-19 registrado no mês de maio em Sergipe motivou a deputada estadual e líder da oposição, Kitty Lima (Cidadania), a protocolar nesta quinta-feira, 10, uma indicação na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) direcionada ao governador Belivaldo Chagas, solicitando a criação de novos leitos de UTI, em especial nos hospitais do interior do estado.

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o mês passado foi mais letal desde o início da pandemia em Sergipe, quando 817 sergipanos perderam a vida em decorrência da Covid-19 em todo o estado e fazendo com que o mês ficasse vergonhosamente conhecido como ‘Maio Letal’.

Além disso, a lista de espera para vagas de UTI no último dia 30 era de 60 pessoas, reforçando assim o gargalo do sistema de saúde de Sergipe para atendimento aos pacientes com Covid-19.

Preocupada com a possibilidade de agravamento do número de mortos nos próximos meses e com a limitação de leitos de UTI para internamentos dos pacientes infectados com o vírus para o tratamento adequado, Kitty Lima protocolou na Alese um pedido ao governador Belivaldo Chagas para que sejam criados, em caráter de urgência, novos leitos de UTI em todo o estado.

“Estamos vendo o crescente número de mortos pelo coronavírus em Sergipe e nossa preocupação hoje é que esse número de vítimas seja ainda maior nos próximos meses, principalmente por conta da fila de espera por vagas de UTI. O Governo do Estado precisa ampliar o número de leitos o mais rápido possível porque enquanto nada está sendo feito, centenas de pessoas estão morrendo todos os meses”, afirma Kitty.

Ainda de acordo com os dados da SES, em abril deste ano foram registradas 773 mortes em Sergipe em decorrência da Covid-19, um número que, na opinião da deputada Kitty Lima, “já considerávamos bastante alto e que já vínhamos fazendo uma cobrança para que a gestão adotasse medidas mais eficazes para conter a proliferação do vírus e atendimento aos pacientes, e nada foi feito. Prova disso foi que, no mês seguinte, o índice de mortes cresceu”.

Durante os dois meses mais mortais da pandemia no estado o número de leitos de UTI variou entre 220 e 233 nesses 60 dias, sem o aumento real de novos leitos, enquanto a fila de espera por vagas crescia e pessoas morriam por não terem atendimento adequado.

“Ou seja, o número de leitos não acompanhou o número de pacientes que precisavam de internamento. Cadê os hospitais de campanha, cadê os novos leitos para atender a população? No último boletim emitido pela Secretaria de Estado da Saúde [na tarde desta quinta-feira, 10], a taxa de ocupação dos leitos de UTI da rede pública era de 97,9%, e na rede particular de 95,1%. Enquanto isso, 49 pessoas aguardavam na fila por uma vaga de UTI nos hospitais públicos do estado”, questiona Kitty.

Para a deputada, a criação de novas vagas de UTI possibilitará aos pacientes maiores chances de sobrevivência diante de um vírus que já vitimou mais de 5 mil sergipanos até a última quinta-feira, 10, segundo dados da SES. Nesse contexto, Kitty chama atenção para a necessidade de que parte dessas novas vagas sejam disponibilizadas nos hospitais do interior do estado, onde há grande déficit de leitos.

“Isto porque a ausência de leitos de UTI nos hospitais estaduais do interior do estado acaba sobrecarregando as unidades de saúde na capital que não estão conseguindo comportar a demanda de pacientes. Se disponibilizarmos boa parte dessas novas vagas para os hospitais no interior, com certeza viabilizaria um atendimento mais adequado e oportunizaria mais saúde aos pacientes, assegurando o direito à vida de todos os sergipanos sem que haja a necessidade de deslocamento desses pacientes para a capital”, pontua a deputada.