Por Habacuque Villacorte

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã dessa quinta-feira (10), em mais uma Sessão Extraordinária Remota, para propor uma homenagem à UNALE (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais) pela passagem dos seus 25 anos. O deputado sergipano defende que a entidade seja agraciada com a Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar pelos serviços prestados aos parlamentos estaduais.

Georgeo iniciou seu discurso dizendo que protocolou junto à Mesa Diretora da Alese a solicitação para a entrega da Medalha para a entidade, que também foi assinada pela colega deputada Goretti Reis (PSD). “A UNALE está completando 25 anos de história e de representação dos deputados estaduais do Brasil. Uma instituição que nos propicia uma troca de experiências com colegas de outros Estados, em um ambiente saudável e construtivo, que ajuda e muito nas nossas ações enquanto parlamentar”.

O deputado fez um apelo para que a Mesa possa avaliar, o quanto antes, seu requerimento para que ele possa homenagear a instituição. “Essa honraria que queremos outorgar demonstra todo o nosso respeito e consideração, do nosso parlamento com a UNALE”, enfatizou, registrando que vários colegas possuem representação na entidade e que o ex-deputado Venâncio Fonseca presidiu a UNALE por um período.

Taxa de religação

Georgeo aproveitou a oportunidade para anunciar também que protocolou um projeto de lei no sentido que o Governo do Estado, através da DESO, não promova a cobrança das taxas de religação do fornecimento de água durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Ele enfatizou o quanto é essencial a água no processo de higienização da sociedade e que muitas famílias que tiveram o serviço suspenso estão encontrando dificuldades para fazer a religação.

Muitas pessoas es~tao em dificuldade financeira e tiveram o fornecimento suspenso de água por inadimplência. Não conseguem pagar suas contas. E quando conseguem juntar o valor referente ao débito, esbarram em outro problema: a taxa de religação é de quase R$ 100, ou seja, como a tarifa social é de R$ 40, isso corresponde a quase dois meses e meio dessa taxa. Se a pessoa não tem dinheiro para quitar o débito, como vai pagar a religação?”, questionou.

O deputado lembrou que há um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) da DESO com o MPE suspendendo essa cobrança e ele defende que as pessoas paguem os valores em atraso, mas durante a pandemia fiquem isentas dessa religação. “É um período excepcional que estamos vivendo. Aí quando a pessoa recebe a fatura, vem cobrando o valor em atraso, mais a taxa de religação. Muitas famílias estão fragilizadas financeiramente”.

Alessandro Vieira

Por fim, Georgeo comentou a polêmica em torno da desfiliação do senador Alessandro Vieira do Cidadania. Ele disse que, como vice-presidente do partido, assim que o desligamento for confirmado, ele assumirá a presidência interinamente, mas que a tendência é que o agrupamento continue unido. “O senador já manifestou o interesse na desfiliação, mas nós permanecemos fazendo parte do grupo. Não há nenhuma mudança neste sentido, ele terá tempo para escolher outra agremiação e esperamos que ele possa aceitar o desafio de ser pré-candidato a governador no próximo ano”, disse, acreditando não existir qualquer retaliação nacional.

Foto: Joel Luiz