Por Kelly Monique Oliveira – Rede Alese

Na manhã desta terça-feira, 21, em entrevista à Rádio Cultura AM, o deputado estadual Zezinho Sobral (PODEMOS) fez um balanço das ações na Assembleia Legislativa de Sergipe. O parlamentar teve diversos projetos aprovados e outros retirados de pauta para ajustes, como o das Casas de Farinha.

Na oportunidade, o parlamentar falou sobre a Lei das Queijarias, situação dos matadouros em Sergipe, zoneamento costeiro e as expectativas para o ano legislativo de 2020 que tem início no dia 03 de fevereiro.

De acordo com o deputado, os frigoríficos que estão em funcionamento no estado não dão conta de abater os animais, e darão menos ainda à medida que a atividade econômica se concretizar.

“Estão licitando e fui visitar os abatedouros do estado. Fiquei surpreso com alguns. Quem não conhece o matadouro de Itabaiana fica impressionado porque ele tem uma estrutura pavimentada impressionante. A parte física e algumas áreas de destinação de dejetos precisam de reforma, mas podem contribuir para a cadeia produtiva da carne. Ele voltará a funcionar através da licitação”, garantiu.

Sobre as queijarias, o parlamentar destacou dois aspectos: o econômico e o social. Zezinho Sobral afirmou que, atualmente Sergipe têm 250 queijarias que representam o consumo de leite médio de 200 mil litros por dia. Além disso, ele ressaltou a decisão do Governo de Sergipe de isentar o ICMS do queijo coalho e de outros produtos derivados do leite.

“Essa medida vai fazer a diferença na vida dos pequenos produtores, além de fortalecer toda cadeia produtiva, pois os produtos foram inseridos na cesta básica”.

Com relação à casa de farinha, projeto de lei retirado de pauta para ajustes, Zezinho Sobral observou que se reconhecida como Patrimônio Cultural e Imaterial, desde o plantio, o transporte da mandioca e a confecção da farinha os estabelecimentos iriam permanecer funcionando de forma artesanal e não precisariam se adequar a algumas regras trabalhistas.

“O PL foi retirado a pedido de alguns deputados que queriam conhecer melhor o texto. A nossa função é proteger a sociedade como todo, principalmente os mais vulneráveis. A farinha é parte da fundamental da alimentação da população sergipana”,

Por fim, o deputado estadual Zezinho Sobral falou sobre o Plano de Gerenciamento Costeiro de Sergipe e do Zoneamento econômico-ecológico de Sergipe. O projeto de lei do Governo de Sergipe  objetiva promover o ordenamento adequado do litoral sergipano com soluções sociais, econômicas, ambientais e sustentáveis. Segundo o parlamentar, Sergipe apresenta todas as condições para manter áreas de preservação ambiental e empreender um desenvolvimento sustentável, sem a necessidade de inviabilizar o turismo, a agricultura, aquicultura e outras atividades.

Foto: Jadilson Simões