Por Assessoria do Parlamentar

O deputado estadual Zezinho Sobral (Pode) utilizou a Tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe nesta terça-feira, dia 13, para falar sobre a abertura de mercado de capitais do Banco do Estado de Sergipe (Banese) no mercado financeiro. Na ocasião, o líder da bancada governista descartou a possibilidade de privatização da instituição.

“As especulações são de toda ordem. Quando surgiu a notícia dessa abertura do mercado de capitais, alguns setores disseram que era o início do processo de privatização. As pessoas precisam entender que nenhuma empresa pública pode ser privatizada se não tiver autorização legislativa. Se não vier um Projeto de Lei pedindo a esta Casa a privatização e os parlamentares apreciarem e autorizarem, o Banese não poderá ser privatizado. Vamos deixar de lado, de uma vez por todas, a especulação da privatização”, afirmou Zezinho Sobral.

Na Tribuna, o deputado reforçou que “a abertura do mercado de capital foi assunto tratado pelo Governador Belivaldo Chagas no início dos trabalhos legislativos desse ano. Um estudo foi concluído e apresentado à diretoria do banco. Para que se coloque as ações no mercado, é preciso um momento mais propício. Isso está sendo discutido e avaliado”.

Zezinho Sobral ressaltou que é preciso esclarecer aos sergipanos sobre os projetos para fortalecer o Banese e, ainda na Tribuna, convidou o diretor presidente da instituição, Fernando Mota, para comparecer à Comissão de Economia e Finanças da Alese.

“A presença de Fernando será especial no sentido de apresentar os estudos feitos, discutir as possibilidades, as razões para o Banese abrir o capital, quanto efetivamente o estado trará de recursos para compor o fundo de previdência, quanto seria reinvestido no mercado, qual o planejamento do Banco, entre outras questões. O Banese é uma iniciativa privada, é mercado de capitais. Ainda não conversei pessoalmente com Fernando Mota, mas faço o convite. A presença dele na Alese será muito importante para esclarecer, mostrar relatórios e expectativas ao povo sergipano com transparência e exatidão”, pontuou.

Ainda segundo Zezinho Sobral, “o Estado age com modernidade administrativa e a expectativa de ingressar no mercado de capitais é para captar recursos para investir, desenvolver, crescer e fortalecer o Banese. Precisamos avançar nesse sentido”, concluiu.

Foto: Jadílson Simões