Por Stephanie Macêdo – Rede Alese

Cerca de 500 pessoas estiveram participando do 2º Simpósio Constituição de Sergipe – evento alusivo aos  30 anos da promulgação da Constituição do Estado de Sergipe. Promovido pela Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), e com exposições de painéis sendo realizadas no auditório do Tribunal de Justiça, o simpósio foi inaugurado no último dia 8, e  terá encerramento ao final da tarde desta quinta-feira, 10 de outubro. A coordenação do evento  previa o ingresso de 400 pessoas ao evento, o número de inscritos foi superado. Estudantes, legisladores, autoridades políticas, comunidade jurídica e diversos atores civis participaram do evento.

Painéis

A programação do evento reuniu temas diversos que foram discorridos por conhecidos nomes da comunidade jurídica e  a gestão política do Brasil. Neste último dia de realização do simpósio, mais quatro painéis se somarão aos 12 painéis que foram ofertados pela programação do evento. “Constituição e Dignidade da Pessoa Humana” foi o primeiro tema do dia, onde o defensor público, Sérgio Barreto, foi o conferencista. O décimo painel da programação foi abordado pela promotora de Justiça, Adélia Moreira. A especialista em Direito da Família e Políticas Públicas, falou sobre Educação e Regimento Democrático Constitucional.

Encerramento

No período da  tarde, às 14h30,  será aberto o painel sobre “Desafios na Constituição”, a ser apresentado pelo promotor de Justiça do Ministério Público, Eduardo Lima Matos . A conferência de encerramento do 2º Simpósio Constituição de Sergipe tratará sobre a “Memória da Constituição Estadual de 1989. Cenário de exposição será discorrido por Reinado Moura Ferreira, que é conselheiro aposentado do Tribunal de Contas de Sergipe.

 

Interações

Os aposentados, e idosos, assegurados pelo estatuto especial e pela constituição estadual e federal, José Leonel Ferreira de Aquino e Vilder Santos, participaram do evento durante os três dias e afirmam a importância da constituição para o exercício da cidadania.

“Participei das manifestações da criação da constituição de Sergipe e até da Federal, eu tenho 73 anos de vida e acompanhei tudo. Nossos direitos e deveres estão dentro das  constituições e não podemos ficar de fora de um evento como esse, de importantes discussões de nossos direitos”, contou disse o presidente da Comissão Estadual de Mobilidade de Acessibilidade (Cema), José Leonel. 

“Fui professor de Moral e Cívica, e comemorar os 30 anos da Constituição Estadual deveria ser um ato de todos, nela está assegurado nossos direitos”, frisou Vilder Santos.

 

 

 

 

 

Fotos: Jadilson Simões

 

.