Santana do São Francisco se torna oficialmente a capital do artesanato

Publicada: 04/03/2022 às 12:06

4/3/2022

Por Shis Vitória/Alese

‘Capital Sergipana do Artesanato de Barro’. Esta é a nova denominação do município de Santana do São Francisco que teve o reconhecimento pela Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), fruto do PL de autoria da deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) que consagrou o título. A Lei Nº 8.981/2022 foi publicada no Diário Oficial na edição Nº 28.860 de 25 de fevereiro. 

A lei é de iniciativa da deputada estadual Maria Mendonça (PSDB). Foto: Jadilson Simões

Distante 113 km de Aracaju, a antiga Carrapicho (como era chamado Santana do São Francisco) possui mais de 7 mil habitantes. A cidade ficou conhecida nacionalmente pela tradição da confecção de utensílios de barro e reúne vários ateliês, além do Centro Artesanato que abriga uma diversidade de peças produzidas e comercializadas pelos artesãos locais.

“A ideia é reconhecer e valorizar o município que, além de levar o nome de Sergipe a todos os cantos, é responsável por gerar emprego e renda para cerca de 70% da comunidade local. São homens e mulheres que trabalham na cadeia produtiva do artesanato. A ação começa com a retirada do barro até a comercialização das peças, tanto para o mercado interno e externo”, destacou a deputada Maria Mendonça.

Produção

A arte inicia com a retirada do barro cru e comercializado para os artesãos. Nos ateliês, o maquinário é simples, construído com madeira que funciona à tração dos pés. Um tablado circular na parte inferior, tracionado pelos pés, faz movimentar um eixo da parte superior que, com as mãos, os artesãos moldam vasos, conjuntos de cozinha, tendo ainda estruturas que depois passam por lapidação e ganham feições e cores. Os vasos e as molduras em cor escura são transportados para os fornos e queimados para liberar o oxigênio, ganhando consistência e uma coloração mais clara.

 

Foto: Prefeitura de Santana do São Francisco

Outras notícias para você