Por Assessoria Parlamentar
 
Durante entrevista para a rádio Comunidade FM, na última segunda-feira (27), o deputado estadual por Sergipe, Rodrigo Valadares, fez uma breve retrospectiva dos pontos mais importantes de seu mandato na Assembleia Legislativa neste ano de 2021. 
 
Segundo ele, assim como em 2020, este foi um ano atípico, em razão da permanência da pandemia da Covid-19 e grande parte de suas lutas esteve relacionado a essa nova realidade. “Nós mantivemos na luta na Assembleia Legislativa de Sergipe para que a gente pudesse vencer e superar a pandemia. E claro, não separando vidas do sustento, porque a gente sabe que uma coisa está interligada à outra”, disse. 
 
Um dos posicionamentos firmes do parlamentar está relacionado a contrariedade do fechamento do comércio e também das igrejas, medidas adotadas pelo Governo do Estado desde o início da pandemia. “Nós lutamos durante todo o nosso mandato, desde o passado, para que a gente pudesse ter os comércios abertos e infelizmente o governador teve outra visão. Hoje, gente vê festas, shows e boates serem prioridades para estarem abertos, enquanto o comércio e igrejas funcionam com restrições extremamente severas, deixando a dúvida de qual é, efetivamente, a preocupação deste governo”, pontuou. 
 
Para Rodrigo, o resultado dessas restrições estão sendo sentidas atualmente, através da inflação e da retração econômica em Sergipe, onde o Brasil avança e Sergipe fica para trás.
 
Seguindo ainda a linha das pautas da pandemia, o deputado destacou que se mostrou favorável a CPI da Covid-19, que chegou perto de ser instaurada no Estado, além das medias adotadas por ele em relação a isso. “Lutamos também pela CPI do Covid em Sergipe, porque o nosso povo quer saber onde está os bilhões enviados pelo Governo Federal e o dinheiro que foi para o Consórcio Nordeste, onde o Estado tomou um prejuízo de 5 milhões com respiradores que nunca chegaram. Ficamos próximos de abrir esse Inquérito de Investigação, mas por apenas 1 voto, que foi retirado, a gente não conseguiu abri-lo. Ainda assim, estamos acompanhando e também oficiando os órgãos através da CPI no Rio Grande do Norte, que já descobriu indícios extremamente evidentes e fortes de corrupção, de superfaturamento de até 1000% nos respiradores”, explicou. 
 
Dentre os projetos de lei apresentados por Rodrigo, o que levou destaque foi o Programa de Integridade e Compliance da Administração Pública Estadual aprovado em junho, no qual o parlamentar foi coautor junto aos deputados Luciano Bispo e Garibalde Mendonça. “O Compliance nada mais é do que adequar as boas práticas da administração pública, nesse caso, às práticas administrativas comuns da empresa, ou seja, trazendo transparência, lisura e correção, para que a gente evite que haja desperdício de dinheiro, corrupção, malversação de verbas públicas”. 
 
Na luta em prol da população, o parlamentar falou sobre as emendas destinadas aos municípios sergipanos. “Sempre na luta de oposição para a população mais carente, tivemos emendas pagas em todo o Estado. Podemos destacar Simão Dias, onde fomos o parlamentar que mais levou emendas, um valor de quase 600 mil reais. Levamos emendas também para Aracaju, Poço Verde, São Cristóvão, para projetos sociais, enfim, diversas atuações em todo o Estado de Sergipe”, disse. 
 
Finalizando a sua retrospectiva, o deputado colocou entre os pontos importantes as pautas federais defendidas, como a defesa dos valores familiares e da liberdade, intensificado no ato de 7 de setembro. Além destes, o último esteve relacionado a obrigatoriedade da vacina, exigido em algum lugares, como Aracaju, e reprovada pelo parlamentar. “E agora, finalizando o ano, eu quero comunicar em primeiro mão que entramos com uma ação popular em meu nome contra a obrigatoriedade da vacinação em Aracaju”, contou.
 
Foto: Jadilson Simões