Por Kelly Monique Oliveira

A Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa de Sergipe (PROMU/Alese) recebeu na última terça-feira, 27, representantes da Casa das Domésticas, do Sindicado das Domésticas e da Creche Dom Távora para juntos alinharem ações de apoio para a classe trabalhadora, que neste momento de pandemia tem sofrido com o desemprego.

De Acordo com a coordenadora da PROMU, Rozimeire Santos, esse segmento da sociedade precisa, urgentemente de ajuda, pois passam necessidade com seus familiares. E, para tentar minimizar o sofrimento da categoria, a procuradora da PROMU, deputada Goretti Reis, irá protocolar na próxima semana uma Indicação, solicitando ao prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, que seja destinado algumas cestas básicas, arrecadadas nos posto de vacinação, para a Casa da Doméstica.

Outro problema destacado por Rozimeire Santos foi à falta de um espaço para que as trabalhadoras deixem seus filhos enquanto trabalham como diaristas em casas de famílias. “Elas precisam de apoio para manter a creche e dar visibilidade ao trabalho desse seguimento. Sabemos que pelo menos 90% das empregadas domésticas ou diarista são mulheres, e elas, além do desemprego, sofrem com a ausência da creche”, colocou a coordenadora.

Segundo informações obtidas no encontro, Rozimeire Santos, destacou que, atualmente a Casa da Doméstica tem 13.800 cadastros e funciona como apoio para a Creche Dom Távora e para o Sindicato que tem grande atuação no estado Sergipe, principalmente na Grande Aracaju.

“As dificuldades no momento se deve, principalmente por desemprego e ausência das contribuições das trabalhadoras o que tem dificultado o funcionamento da creche, uma vez que essa contribuição serve para manter as despesas com pessoal, alimentação e material. Hoje, eles contam com três funcionários cedidos, as despesas com manutenção do espaço acontecem através de doações que também teve redução”, colocou.

Foto: Divulgação/PROMU