A deputada estadual Maria Mendonça (PP) apresentou um balanço das atividades legislativas desenvolvidas neste ano, destacando proposituras de sua autoria que, segundo ela, contemplam áreas que vêm sendo deixadas de lado pela gestão do governador Jackson Barreto, ao longo dos últimos anos. Dentre os segmentos negligenciados pela administração estadual, ela citou as estradas, cuja precariedade tem gerado inúmeros prejuízos e ceifado vidas; e a segurança pública que, de igual modo, tem provocado danos irreversíveis para a população de todo o Estado.

Na prática, os nossos cidadãos têm uma carência de políticas públicas efetivas. Os sergipanos estão abandonados por este Governo”, enfatizou a parlamentar em entrevista à Rádio Capital do Agreste, destacando as suas iniciativas que visam minorar os problemas enfrentados pelas comunidades, em especial, as mais carentes e esquecidas pelo poder público.

Durante a entrevista, ouvintes de várias regiões do Estado interagiram com a deputada e reclamaram os diversos problemas que enfrentam em diversos setores. “Não há investimento e não há, sequer, manutenção”, disse Maria, ao citar o caso das estradas, apontada pelos ouvintes como um dos principais complicadores, principalmente, para quem reside no interior e precisa se deslocar quase diariamente.

A deputada lembrou que na proposta orçamentária de 2018, aprovada na semana passada pela Assembleia Legislativa, estão previstos recursos da ordem de R$ 3,1 milhões para recuperação da rodovia SE 160, no agreste sergipano, entre o trecho que liga a Usina Pinheiro até o Povoado Pedrinhas, no município de Areia Branca. “Eu fiz essa Indicação em 2015, mas a despeito de toda a precariedade daquela via, só agora, fomos atendida”, disse Maria, ao ressaltar que a obra vai melhorar o acesso às comunidades que hoje vivem praticamente isoladas, além do escoamento da produção agrícola da região.

VIOLÊNCIA

Na entrevista, Maria Mendonça também lamentou, mais uma vez, os alarmantes indicadores da violência que, “conforme demonstrado pelo Anuário Socioeconômico de Sergipe, cresce de forma avassaladora”. Segundo a deputada, há uma indisposição do Governo em dar uma resposta efetiva à sociedade. “Vidas estão sendo ceifadas porque as drogas estão invadindo as casas dos sergipanos e as nossas fronteiras estão escancaradas, sem fiscalização, para o crime organizado”.

Ela lembrou que, este ano, já apresentou um Projeto, em conjunto com outros deputados, propondo a construção de uma política de ressocialização de dependentes químicos, considerando ser a droga um dos fatores que mais estimulam a criminalidade. “É preciso dar dignidade àqueles que estão marginalizados, mas até agora, lastimavelmente, o Governo não nos permitiu o diálogo que propusemos”, completou.

Da Assessoria da Parlamentar