As negociações do presidente Michel Temer para aprovação da Reforma da Previdência foi tema do discurso do deputado estadual Moritos Matos nesta quarta-feira , 13, durante o pequeno expediente na Assembleia Legislativa de Sergipe – Alese. “O brasileiro paga muito caro com esse senhor na presidência. Para Temer se livrar dos processos, dos julgamentos ele gastou em torno de R$ 4 bilhões. Para aprovar a Reforma Trabalhista se pagou não se sabe quanto, fora as negociações que ele tem feito, principalmente com a bancada ruralista. E agora com a chamada Reforma da Previdência vai gastar ainda mais”, enfatiza Moritos Matos.

O parlamentar acrescenta que as denúncias em relação a esses gastos são mencionadas diariamente pela imprensa. “Eu não sei o que acontece que não se investiga. O judiciário não abre processo para investigar esse tipo de negociação. Só para você ter ideia cada deputado que votar favorável a Reforma da Previdência vai receber 20 milhões em emendas a partir de março. E isso é verdade, porque ele tem até mesmo realizado reuniões no domingo para fazer essas negociações”, expõe Matos.

Outro ponto citado pelo deputado Moritos Matos durante discurso se refere as negociações com a bancada ruralista. “Com eles o presidente negocia as terras indígenas, a dos quilombolas e terras que são consideradas de proteção ambiental. Ele tem vendido o Brasil de um forma descarada e infelizmente nada é feito para barrar os atos de Temer. Eu espero que antes dele sair da presidência ele não venda o Brasil para os estrangeiros, porque da forma que ele faz é algo escandaloso, algo que me deixa cada vez mais apreensivo em relação ao que ele tem feito para aprovar a ‘bendita’ reforma da Previdência”, afirma o deputado.

Além de todos esses acordos a equipe econômica do presidente Temer ainda reduziu R$ 10 reais do salário proposto para o mínimo de 2018. “Enquanto o presidente desconta R$ 10 reais do salário-mínimo do trabalhador brasileiro ele negocia emendas no valor de 20 milhões para cada parlamentar. E faz tudo isso de forma escancarada e nada é feito para impedi-lo. O brasileiro já está pagando a conta e vai pagar mais caro ainda”, lamenta Moritos Matos.

EMENDAS EM ANO ELEITORAL

O deputado Moritos Matos cita que as emendas para os parlamentares no valor de R$ 20 milhões estarão disponíveis justamente em ano eleitoral. “Imagina o que não vai ser feito, claro que boa parte dos deputados federais vão votar favorável, vão aceitar porque tem seus acordos com os prefeitos no sentido de apoio. Então é muito perigoso em ano eleitoral liberar emendas dessa forma. Porque a gente sabe, com certeza, que boa parte desse dinheiro vai ser desviado para compra de votos. Boa parte dos deputados e senadores estão sendo processados e precisam de dinheiro para serem eleitos e voltarem para Brasília, porque senão perdem o foro privilegiado e vai acabar na cadeira”, enfatiza o parlamentar.

Matos lamenta a falta de protestos do povo brasileiro em relação a Reforma da Previdência. “Parece que o povo brasileiro dorme em berço esplêndido, não vejo nenhuma manifestação, não vejo mais bateram as panelas. Depois que passou um período ai que tiraram a presidente Dilma esconderam as panelas, guardaram ou estão com vergonha de bater panela, porque a classe média bateu panela para esse senhor que está na presidência, e agora deveria bater a panela na cabeça dele para tirá-lo da presidência”, afirma o deputado.

Para Matos embora a situação seja de indignação com tudo que ocorre no Brasil o povo ainda precisa ter esperança. “Próximo ano é ano de eleição vamos ver se o povo brasileiro acorda e vota de forma mais consciente, analisa também o histórico de cada um que vai representá-lo nos parlamentos estaduais, federais e na presidência da República”, propõe Moritos Matos.


Assessoria de Imprensa do Parlamentar

Foto: Jadilson Simões