Ainda como parte da programação em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março, a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), fez, na tarde dessa segunda-feira (21), a entrega da medalha Quintina Diniz a oito mulheres de destaque na política e sociedade sergipana.

Um diferencial chamou a atenção dos convidados, amigos e parentes das homenageadas. A encenação da Companhia de Artes da Alese, relembrando a trajetória da primeira deputada estadual, a Patrona da medalha professora Quintina Diniz e a execução dos Hinos Nacional e da Bandeira, pelo Corales (Coral da Alese).

Representando as mulheres agraciadas com a medalha, a jornalista e professora Claudeiza Freire Siqueira, disse que é gratificante ter o trabalho de 20 anos como educadora reconhecido, ao passo que aumenta a responsabilidade em manter a dedicação na profissão que escolheu. “É o dia a dia que faz com que percebamos o quanto as crianças são importantes para nós”, agradeceu.

Quem preside a Comissão Especial da Medalha Quintina Diniz é a deputada Ana Lúcia , por ter mais mandatos consecutivos na Casa Legislativa. A ela, cabe a indicação das homenageadas, com a aprovação da Mesa Diretora da Alese. A parlamentar explica que o objetivo da homenagem é fortalecer o papel da mulher na política e fala sobre a criação da honraria.

“A primeira deputada estadual em Sergipe foi a professora Quintina Diniz, uma intelectual que ensinava no Instituto Rui Barbosa, escrevia artigos para jornais, e a então deputada Suzana Azevedo criou uma resolução em 2008, da Medalha do Mérito Parlamentar Quintina Diniz, a qual todos os anos é celebrada no dia 08 de março, e em 2016 foi inviabilizada nesta data e transferimos para hoje”, resumiu.

 

Ana Lúcia informou que oito mulheres foram homenageadas, a exemplo de juristas, pesquisadoras, professoras, mulher do povo, vários segmentos da sociedade. “Buscamos fortalecer a posição dessas mulheres para que ocupem o espaço político na presidência da república, governo do estado, prefeituras e assim, os direitos socioeconômicos também avancem”, ressaltou.

Por fim, a deputada Ana Lúcia acrescentou que o Brasil está muito abaixo da média mundial do número de mulheres que ocupam cargos no poder. Segundo ela a média é de 24% e a do Brasil, não chega a 9%.

Além da professora Claudeiza Freire Siqueira, foram agraciadas com a Medalha Quintina Diniz a juíza Adelaide Maria Moura, a advogada Adélia Moreira Pessoa, a secretaria de Estado da Mulher, da Assistência e Inclusão Social do Trabalho, dos Direitos Humanos e da Juventude, a enfermeira Marta Maria de Souza Leão Vasconcelos, a advogada Valdilene Oliveira Martins, a jornalista e professora Claudeiza Freire Siqueira, a professora de Licenciatura em Letras Neolatinas Maria Hemínia Caldas, a assistente social e Pós-doutora em Sociologia da Educação Maria Helena Santana Cruz e a radialista e deputada estadual Silvia Tereza Fontes Caldas.

A mesa diretora foi composta pelas deputadas Ana Lúcia, Goretti Reis, Maria Mendonça, Sílvia Fontes, pela juíza Isabela Sampaio Alves, representando o presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe Luiz Mendonça, pelo secretário executivo da Casa Civil Maurício Pimentel, representando o Governador do Estado Jackson Barreto e pelo deputado Garibalde Mendonça.

Sobre a Medalha

A Medalha Quintina Diniz foi criada, em 13 de novembro de 2008, pela Assembleia Legislativa para homenagear as mulheres que se destacam na atuação familiar, profissional, política, especialmente na defesa dos direitos humanos e da igualdade feminina. Quintina Diniz foi à primeira deputada estadual constituinte eleita em Sergipe, isso em 1934. Ela faleceu em 1942, aos 64 anos.

Por Glice Rosa e Tiffany Tavares – Agência Alese de Notícias