A demora do Governo em promover a recuperação das rodovias estaduais foi, mais uma vez, criticada pela deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) na Assembleia Legislativa. Ao apresentar a situação de duas rodovias no interior sergipano, a parlamentar demonstrou preocupação com os riscos aos quais a população está exposta, “quando é obrigada a transitar por estradas sem as mínimas condições de segurança, numa situação completamente angustiante”.

Uma dessas rodovias foi contemplada por uma Indicação, protocolada por Maria Mendonça na sessão de hoje (8), solicitando ao Governo que autorize o Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária (DER) a fazer os serviços de recuperação da SE-331, no trecho que liga os municípios de Nossa Senhora Aparecida e São Miguel do Aleixo. “A falta de acostamento e de iluminação têm favorecido a ocorrência de graves acidentes”, relatou a parlamentar, ao ressaltar que a rodovia é “uma importante rota de escoamento da produção de milho de São Miguel”.

Na tribuna, Maria também voltou a expor as condições precárias da rodovia Pedro Paes Mendonça, entre Moita Bonita e Ribeirópolis. Segundo ela, “em outubro do ano passado, um paliativo chegou a ser feito, mas o serviço não foi concluído e até a parte que havia sido recuperada, já voltou a ficar esburacada”. A parlamentar disse ainda que a preocupação de quem utiliza a via é com a proximidade do período chuvoso. “A população teme que o Governo use esse fator como justificativa para procrastinar ainda mais a reforma, que diversas vezes já pleiteamos nesta Casa”, completou.

Mendonça lembrou que a revitalização da malha viária estadual é pauta antiga dos sergipanos e, conforme destacou, tem sido recorrente em seus discursos “porque a população está cansada de ver vidas sendo ceifadas nas rodovias”. A deputada que deu um voto de confiança ao Governo, votando pela liberação do Finisa, já autorizado pela União, cobrou celeridade na efetivação do projeto. “As pessoas ficam apreensivas ao circular por estradas precárias. A situação é lamentável e requer uma ação urgente do Estado”, concluiu Maria, apelando à sensibilidade do governador Belivaldo Chagas.

Foto: Jadilson Simões

Por Assessoria Parlamentar