A deputada estadual Maria Mendonça (PP), ocupou a tribuna no grande expediente na última terça-feira (01), inicialmente para agradecer a presença dos colegas parlamentares, dos servidores da casa  e da imprensa, por se fazerem presentes na Sessão Itinerante, realizada no último dia (26), na cidade de Itabaiana.

 

Na oportunidade, a deputada Maria Mendonça justificou em seu o pronunciamento, na sessão itinerante, que fez cobranças ao governo, e que solicitou ao presidente e deputado estadual, Luciano Bispo (PMDB), que intermediasse junto ao mesmo, como filho de Itabaiana.

Ainda em seu pronunciamento, a deputada lembrou que o presidente, Luciano Bispo, no uso da sua fala, na sessão itinerante, disse que “Ouço a deputada Maria Mendonça cobrar o Ceasa de Itabaiana, está correto. Isso é um projeto e sonho meu, que vou realizar com o governador Jackson Barreto”.

 

Maria Mendonça argumentou que este sonho é de todos os itabaianenses, afirmou ainda que, “Quem tem sonhos e quer de fato a realização dos mesmos, faz como eu, filha da terra, que cobra do governo”, salientou.

 

A deputada lembrou ainda que, assim como ela, o deputado Gilson Andrade, o senador Eduardo Amorim, e Gilmar Carvalho, que na época estava como deputado estadual, são naturais de  Itabaiana e que  no primeiro momento, votaram contra o Proinvest, por entender que o governo tem que garantir a lista das obras, para execução dos serviços. “O governo não o fez, e o projeto foi rejeitado”, pontuou, questionando  que “Sem Obras, sem realizações, para onde iria este dinheiro”.

 

Durante seu discurso, Maria Mendonça explicou os motivos de não ter votado no projeto Proinvest, e que na época, o então governador Marcelo Deda, fez um apelo ao senador Eduardo Amorim, para que pudéssemos rever o voto daquele projeto. “Quem tem sonhos, busca realizar. Nós votamos com a lista das obras e o Ceasa de Itabaiana foi uma dessas obras”, afirmou Maria Mendonça.

 

De acordo com a parlamentar, já são quase dois anos sem resultado do empréstimo, o Estado está pagando os juros, e as obras não acontecem. Ela ainda esclareceu outra fala de Luciano Bispo, quando ele disse o prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho (PR), precisa ajudar o Ceasa no que diz respeito ao pagamento do IPTU. De acordo com Maria Mendonça, o terreno comprado para a construção do Ceasa do senhor João Patola, ex vereador município, não foi doação, como informou Luciano Bispo.

 

Na ocasião, a deputada apresentou documentos como, certidão de inteiro teor, onde consta o total de área do terreno, são mais de 140 mil metros quadrados. E certidão da área desmembrada, num total de 144 mil, 249 metros quadrados.

 

A deputada Maria Mendonça entende que a valorização do terreno mencionado, se deu com o plano diretor, garantindo ao município de Itabaiana o crescimento da cidade de forma ordenada. O terreno até 2006 era considerado área rural. A partir do plano diretor passou a ser área urbana. E toda área urbana é importante ser valorizada, explicou.

 

Ainda em sua fala, Maria Mendonça disse no ano de 2014 o município de Itabaiana resolveu comprar a área de terra mencionada e o IPTU foi pago da área total. “O Estado não poderia comprar o terreno, se o mesmo estivesse inadimplente. Foram desmembrados 54 mil, 376 metros quadrados, para que o governo do estado realizasse a compra para a construção do Ceasa. O terreno estava com todas as certidões,” ressaltou.

 

Finalizando a deputada disse que precisa esclarecer a verdade e que tem o direto de cobrar. “Se o prefeito não arrecadar o ITPU, ele estará abrindo mão de receita e cometendo improbidade administrativa. O prefeito Valmir de Francisquinho tem muita responsabilidade com a gestão pública e com o povo de Itabaiana”, concluiu.

 

Por Luciana Botto – Agência de Notícias Alese

Foto: César de Oliveira