Por Habacuque Villacorte

Os deputados estaduais apreciaram e aprovaram, na sessão remota da Assembleia Legislativa, na manhã dessa terça-feira (06), a indicação da deputada Maria Mendonça (PSDB), onde ela chama a atenção para a necessidade de insumos que garantam a continuidade das atividades do Centro de Nefrologia de Itabaiana,

A parlamentar tem alertado que, durante a pandemia, num período de mais três meses, há o risco dos serviços disponibilizados pelo Centro serem cessados, prejudicando os assistidos. Ela fez um apelo ao governador do Estado, Belivaldo Chagas (PSD), e à secretária de Estado da Saúde, Mércia Simone Feitosa de Souza.

Deputada estadual Maria Mendonça

Em recente visita ao poder Legislativa, quando prestou contas do 3º quadrimestre da Pasta, do exercício de 2020, a secretária de Saúde já havia sido questionada pela deputada sobre esta problemática. Maria Mendonça explicou que as 820 unidades de diálise abertas no País, atualmente, pelo menos 710 são privadas, mas prestam serviço ao SUS e são responsáveis pela maioria dos atendimentos dos pacientes.

Ela argumentou ainda que as unidades recebem da Saúde por procedimento realizado, mas que a tabela do SUS teve seu último reajuste em 2017. “Estamos diante de um colapso neste setor para daqui a alguns meses, uma crise que ficou insuportável nessa pandemia”.

A deputada explicou que entrou em contato com o nefrologista sergipano Roberto Nogueira, que é dono de clínica de hemodiálise no Estado, e ele externou sua preocupação. “A situação é muito grave. Já diminuíram funcionários, atrasos com fornecedores e com o pessoal, houve redução de serviços e alguns insumos aumentaram 500% com a alta do dólar. As clínicas se sustentam pela misericórdia e a tabela SUS está muito defasada. Eles só suportam mais uns seis meses”, disse, recentemente.