A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) defendeu que a Assembleia Legislativa convide o secretário da Segurança Pública, João Eloy de Menezes, para um debate sobre a política de segurança adotada atualmente pelo Estado. “Não é possível que Sergipe desponte como unidade da federação mais violenta do país, em um estudo do Ipea, e fique por isso mesmo. A população precisa de um diálogo transparente”, afirmou a parlamentar durante a sessão plenária desta quinta-feira (7).

Segundo Maria Mendonça, os indicadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que, mais uma vez, colocaram Sergipe como o Estado com a maior taxa de assassinatos do país, em verdade, “expõe aquilo que a população sente nas ruas, ao se ver acuada pelos marginais que agem, principalmente, onde as fronteiras estão escancaradas”. A parlamentar ponderou que o Atlas da Violência confirma também um problema já alertado por ela reiteradas vezes. “Os números comprovam que não houve planejamento e todo trabalho foi feito de forma açodada”, disse.

Para Maria, uma das faces mais cruéis do levantamento publicado pelo Instituto consiste no perfil da maior parte das vítimas da criminalidade, homens entre 15 e 19 anos de idade. “Nossa juventude está sendo abatida por causa da invasão das drogas, que continuam chegando ao Estado com muita facilidade”, lastimou a deputada, ao questionar, para além da repressão, “quais políticas públicas foram efetivadas nessa gestão para prevenir o tráfico e suas consequências letais?”.

Maria Mendonça ainda reforçou a sua compreensão de que o governador Belivaldo Chagas deve, prioritariamente, chamar os seus auxiliares da área para refletir sobre os gargalos da segurança pública estadual. “Sem prevenção ao crime por meio da educação e do esporte, sem um efetivo policial que atenda às demandas dos municípios, sem policiamento ostensivo, não mudaremos esse cenário deplorável”, apontou a deputada, ressaltando que “administrar um Estado requer planejamento, mas acima de tudo, compromisso com a população”.

 

Por Ascom Parlamentar

Foto: Jadilson Simões