A manifestação cultural dos Lambe-Sujos é datada de 1860, bem antes da abolição dos escravos no Brasil. O folguedo é a representação da batalha de dois grupos: de um lado os Lambe Sujos, que representam os escravos e do outro os Caboclinhos, representando os índios. Com personagens bem divididos, os grupos simulam a luta para resgatar a princesa que foi raptada pelos negros.

A festividade acontece sempre no segundo domingo do mês de outubro nos municípios de Itaporanga e Laranjeiras. Para dar mais cor à encenação, os Lambe-Sujos se pintam com carvão, mel cabaú e usam gorro e bermuda vermelha, enquanto os Caboclinhos se pintam com tinta marrom-terra e vestem cocares. Os participantes saem pelas ruas cantando e tocando instrumentos musicais como pandeiro, tamborim e reco-reco.

A festividade dura todo o dia e se encerra com a tradicional batalha entre os dois grupos da qual os caboclinhos saem vitoriosos. Para quem assiste, é difícil sair da festa sem ser pintado, ao menos uma parte do corpo, pelos Lambe-Sujos. Pela importância histórica, a manifestação cultural faz parte do calendário folclórico de Sergipe.

Por Júnior Ventura / Rede Alese

Foto: Ailton Cruz