Por Assessoria de Imprensa

Reconhecer as personalidades que tenham oferecido contribuição relevante à proteção e a promoção da cultura afro-brasileira, esse é o intuito das comendas Jacinta Clotilde do Amor Divino e Senador Abdias Nascimento, entregues a 17 homenageados na manhã da última quinta-feira, 05, na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). A honraria foi concedida pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Alese, presidida pela deputada estadual Kitty Lima (Cidadania).

Autoridades, familiares e amigos dos homenageados estiveram presentes na sessão especial que reconheceu os esforços de indivíduos que, em suas áreas de atuação, contribuíram para a luta contra o preconceito religioso, racial e cultural afro-brasileira. Para a deputada Kitty Lima, o posicionamento dessas pessoas contribuiu, e contribui, para uma sociedade mais justa e igualitária, reconhecendo o verdadeiro papel do povo negro na construção da história da humanidade.

“Infelizmente ainda vivemos em uma sociedade onde o preconceito, seja ele de raça, religião ou cultura, ainda predomina. Mas o que temos visto ao longo dos anos são pessoas aguerridas que arregaçam as mangas e lutam contra qualquer forma de opressão, e hoje estamos aqui para homenagear essas pessoas maravilhosas que fazem a diferença, guerreiras e guerreiros que valorizam a cultura afro-brasileira. Hoje meu coração é só orgulho e alegria”, declarou Kitty Lima.

Durante a solenidade, foram homenageadas com a comenda ‘Jacinta Clotilde do Amor Divino’ Valdilene Oliveira Martins, Clarissa Marques Santos França, Iza Jackeline Barros da Silva, Verônica Souza de Paiva, Edinéia Tavares Lopes, Eufrozina Amélia Guimarães (In memorian), Ligia Maria da Silva Borges, Silvania Correia de Moura, Sônia Oliveira Santos e Tereza Cristina Santos Martins.

Já a comenda ‘Senador Abdias Nascimento’ foi entregue a Alexis Magnum Azevedo, João Bosco Santos, Carlos Augusto Santos da Conceição, Cícero dos Santos (In memorian), Djenal Nobre (In memorian), Paulo Victor Purificação Melo e Robson Anselmo Santos.

As outorgas

Poeta, ator, escritor, dramaturgo, artista plástico, professor universitário, político e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras. Considerado um dos maiores expoentes da cultura negra no Brasil e no mundo, Abdias Nascimento fundou entidades pioneiras como o Teatro Experimental do Negro (TEN), o Museu da Arte Negra (MAN) e o Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (IPEAFRO). Foi um idealizador do Memorial Zumbi e do Movimento Negro Unificado (MNU) e atuou em movimentos nacionais e internacionais como a Ação Integralista Brasileira, a Frente Negra Brasileira, a Negritude e o Pan-Africanismo.

A patronesse da comenda, Jacinta Clotilde do Amor Divino, nasceu escrava no município de Estância, em 1811, e simboliza a rara capacidade de superar as limitações impostas pela estrutura de uma sociedade escravocrata. Jacinta foi um exemplo de empoderamento da mulher escrava e negra na sociedade oitocentista. Assediada pelo seu senhor, constituiu sua família em espaço adverso e acabou se tornando esposa, mãe, senhora de engenho, administradora e líder de gleba. Ela teve uma relação de liderança com relação aos irmãos negros, índios tupinambás e ciganos que trabalhavam nas terras do Engenho Palmeira, servindo como exemplo de rompimento com o modelo da família patriarcal baseada nas relações social e racial. Com sua expressão afirmativa no enfrentamento do racismo em suas diversas situações e níveis, ela gerou efeitos positivos em diversas instâncias dos espaços de poder.

Foto: Divulgação Ascom