Por Assessoria do Parlamentar

O deputado estadual e professor Iran Barbosa, do PT, participou de uma reunião remota, na manhã desta segunda-feira, 25, com o secretário de Estado da Educação, da Cultura e do Esporte (Seduc), Josué Modesto dos Passos Subrinho, na qual tratou de pautas relativas à Educação e de interesse do magistério estadual.

O parlamentar discutiu com o secretário a necessidade de imunização dos integrantes das comunidades escolares, através de um plano de vacinação, como condição de segurança para o retorno das aulas presenciais nas escolas da Rede Estadual; a necessidade de apresentação de um programa de reformas e adaptações das unidades escolares como condição destacada para o momento de retorno das aulas; e reforçou a solicitação da direção do Sintese para a realização de reunião com seus integrantes para tratar de pautas específicas dos professores, como a finalização do Ano Letivo de 2020, a retomada do Ano Letivo de 2021 e os problemas relativos à carreira do magistério estadual.

Sobre o primeiro ponto, o parlamentar enfatizou que é preciso a adoção de medidas mais efetivas para garantir a segurança de professores, alunos e demais servidores das escolas contra o possível contágio do coronavírus, levando em consideração que escolas são espaços onde, inevitavelmente, pessoas se aglomeram.

“A pandemia continua forte e sabemos que o retorno às aulas vai provocar aglomerações e nós temos detectado que, apesar da existência de alguns insumos de higienização nas unidades de ensino visitadas pela minha assessoria, muitos problemas de ordem estrutural, sanitária e de ausência de pessoal responsável pela limpeza e higienização são realidades que precisam ser enfrentadas com urgência. A grande questão é entender como retomaremos as aulas presenciais nessas condições?”, indagou o parlamentar.

Denunciando os problemas que vêm ocorrendo para vacinar profissionais de setores sensíveis, como o da Saúde, e a população-alvo inicial, Iran apontou sua preocupação quanto ao planejamento do governo do Estado para a vacinação das comunidades escolares em função da perspectiva de retorno das aulas.

“Ainda que saibamos da política negacionista adotada pelo governo federal, que visa retardar ao máximo o processo de vacinação da população, tem estados que estão buscando alternativas a essa realidade. Sergipe também não pode ficar esperando, exclusivamente, pelo governo federal e precisa apresentar soluções autônomas para o enfrentamento desse desafio, o que vem sendo autorizado pelo próprio Supremo Tribunal Federal”, disse o petista, indagando, também, sobre qual o cronograma para 2021 de reformas e adaptações nas escolas com problemas estruturais para enfrentar a realidade da pandemia de Covid-19.