Por Júnior Matos

Na sessão mista desta quinta-feira, 10, o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) criticou uma fala do presidente da República Jair Bolsonaro, sobre insinuações relacionadas à China. O parlamentar enfatizou que a China é a principal produtora do IFA matéria-prima da vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan.

“Infelizmente, essa é a política de um presidente que não quer o povo vacinado. Estamos nos aproximando de 500 mil mortos pela Covid-19. Quando ele repete a provocação contra a China significa que teremos menos brasileiros vacinados e mais brasileiros mortos, já que ainda não temos condições de realizar a imunização em massa”, declarou Gualberto.

O deputado também falou sobre atos inconstitucionais que pede a volta da ditadura militar e fechamento do Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF).

“Há cerca de um mês o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazzuelo participou de um ato político no palanque do presidente Jair Bolsonaro. Rasgou o regimento do exército brasileiro que não permite este tipo de comportamento para militares da ativa. Não houve nenhum tipo de punição. Pazzuelo foi conduzido a outro importante no Governo Federal. Isso é um sinal da quebra da democracia”, enfatizou o deputado.

Outro ponto destacado por Francisco Gualberto foi a atual política que facilita o porte de armas no Brasil e possibilidade da volta do voto impresso. “Estamos desenhando um cenário muito ruim. Além da pandemia teremos mortes por violência. Antes tínhamos incentivos para o desarmamento, dando até incentivos financeiros para quem entregasse suas armas ao governo. Hoje, a realidade é outra. Encontramos facilidade para comprar armas o que contribui para o aumento da criminalidade”, destacou.

Foto: Jadilson Simões