A presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher a deputada Goretti Reis realizou na manhã dessa quarta-feira (20), reunião extraordinária com deputados que compõem a frente, a vice-presidente Maria Mendonça (PP), o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Garibalde Mendonça (PMDB), e os representantes dos outros parlamentares, Georgeo Passos (PTC), Gilson Andrade (PTC), Ana Lúcia (PT), Luciano Pimentel (PSC). A reunião aconteceu na sala da presidência da Alese.

Um dos objetivos da foi o planejamento das ações que serão desenvolvidas pelos parlamentares e representantes da sociedade civil no segundo semestre de 2016, todas voltadas para o acolhimento da mulher que sofreu ou sofre algum tipo de violência, seja ela, física ou emocional. “Do balanço que fizemos sobre o nosso trabalho no primeiro semestre, podemos afirmar que avançamos em algumas metas. Uma delas a do IML, onde detectamos falha no setor de acolhimento e o Governo do Estado, sensível a causa contratou mais médicos legistas”, relembrou.

Para Goretti Reis, outra conquista foi o comprometimento de todos os deputados e órgãos de atendimento que entenderam que a (FPDM) foi criada para somar. “Fomos muito bem recebidos pelos órgãos que desenvolvem programas em defesa das mulheres, nos órgãos responsáveis pelo acolhimento direto, então temos muito a comemorar, mas também a fazer”, ressaltou.

A segunda pauta foi a comemoração pelos 10 anos da Lei Maria da Penha, comemorado todo dia 7 de agosto, mas na Alese será celebrado no dia 11. A Lei Maria da Penha deve ser lembrada porque após a promulgação, os resultados começaram a surtir efeito, os casos de violência diminuíram e contra dados não há argumentos. Segundo dados de 2015 do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a lei Maria da Penha contribuiu para uma diminuição de cerca de 10% na taxa de homicídios contra mulheres praticados dentro das residências das vítimas, isso é um avanço”, concluiu.

Por Ascom Parlamentar