Voltar

Goretti Reis detalha 1º Encontro das Procuradorias da Mulher

Por Wênia Bandeira

A deputada Goretti Reis (PSD) usou sua fala, nesta quarta-feira, 08, para detalhar o 1º Encontro das Procuradorias da Mulher, realizado nos dias 30 e 31 de agosto, em Brasília. A parlamentar esteve, junto com a deputada Diná Almeida (PODE) participando da reunião, como procuradora e procuradora de ajunta, respectivamente.

“Nesse encontrou ficou registrado a importância de todas as assembleias terem instalado nos seus organogramas a procuradoria da mulher. Hoje são 17 estados com procuradoria em suas assembleias e precisamos chegar aos 27 estados e também as câmaras municipais”, falou Goretti Reis.

A deputada lembrou que Sergipe vem tendo casos de feminicídio nos últimos dias e que é preciso um trabalho para que isso não aconteça. “É lamentável a gente ter estes registros de casos, a gente quer que nenhuma mulher venha a falecer por conta de agressão. A gente precisa constituir em cada cidade as delegacias especiais, atendimento específico e trabalhar com a prevenção com a expansão da patrulha Maria da Penha”.

Ela ainda citou o sinal com o ‘X Vermelho’ na palma da mão que pode ser usado para um pedido de ajuda em farmácias do estado. Mas a parlamentar disse que precisa ser divulgado para que as mulheres que precisam possam usar este serviço.

As cotas para mulheres nas eleições federais foi mais um ponto debatido durante o Encontro. No Senado, 18% das vagas são reservadas para as mulheres e na Câmara dos Deputados são 15%. A intenção é chegar a 30% nos próximos anos.

Goretti Reis também falou sobre a Lei Nº 014.192/2021, que busca estabelecer normas para prevenir, reprimir e combater a violência política contra a mulher. Neste sentido, ela salientou que existem projetos de leis tramitando na Assembleia Legislativa de Sergipe que precisam de atenção.

“A gente tem vários projetos que tramitam nessa Casa e precisam de celeridade em relação a aprovação para poder complementar e ajudar mais ainda a proteção às mulheres”, afirmou. As declarações ocorreram durante a sessão plenária da Alese.

Foto: Jadilson Simões

Outras notícias para você

Ir ao Topo