Por Assessoria Parlamentar

Durante mais uma Sessão Extraordinária Mista, realizada pela Assembleia Legislativa de Sergipe, na manhã de hoje, 8 de abril, a deputada estadual Goretti Reis (PSD), membro da Comissão Nacional de Acompanhamento da Vacinação (Conav), criada pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais – UNALE, fez críticas ao excesso de burocracia por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a liberação de imunizantes. Goretti destacou as inúmeras reuniões que tem participado, representando Sergipe na busca por informações que permitam a redução de burocracias e o aceleramento do processo de liberação de vacinas. A parlamentar sugeriu que o Poder Legislativo faça um encaminhamento ao Ministério da Saúde e a Anvisa solicitando a entrada das vacinas no país sem tantas burocracias.  

Goretti enfatizou os esforços da Conav que tem se reunido com representantes da própria Anvisa, com grupos do Ministério da Saúde e da Embaixada da Rússia. “Ontem, tivemos a oportunidade de estar de forma virtual, também com o presidente da União Química, Rogério Rosso que garantiu capacidade de um quantitativo significativo de produção do imunizante, 30 milhões de doses até o final do mês, mas é necessária a autorização da Anvisa.  Amanhã nos reuniremos com a Embaixada da China”.  

A parlamentar destacou os depoimentos dos colegas da Casa para a inclusão de determinados profissionais nos grupos de prioridades para serem imunizados. “A população como um todo é prioridade e é isso que devemos buscar, vacinação para todos. O que estamos querendo, através da Unale, são ações para a aceleração desse processo de imunização. Precisamos que a vacina Sputnik V seja liberada para uso emergencial e precisa ser liberada pela Anvisa.

Rogério Rosso nos informou que todos os requisitos preestabelecidos levam um certo tempo para que sejam verificados, mas infelizmente, temos pressa e o tempo não está a nosso favor. Estamos falando de um imunizante utilizado em 58 países, entre eles: Rússia, Argentina, Paraguai, Bielorússia, Sérvia, Palestina e Argélia. É preciso diminuir o processo burocrático diante da necessidade de uso emergencial. Estamos falando de vacina com 91,6% de eficácia comprovada”, finalizou Goretti pedindo o apoio de todos.