Por Ascom Parlamentar

O deputado estadual Georgeo Passos, Cidadania, usou o pequeno expediente da sessão plenária desta segunda-feira, 20, para comentar a decisão do governador Belivaldo Chagas em cortar recursos do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). O chefe do Executivo Estadual anunciou que reduziria o aporte mensal do Hospital em 12 milhões.

Segundo Belivaldo, atualmente o Huse tem uma despesa de R$ 47 milhões. A intenção do governador é enxugar essa conta para R$ 35 milhões por mês. O deputado Georgeo disse esperar que essa redução não afete o serviço oferecido. “Sabemos das dificuldades que o Hospital enfrenta. Mas preocupa saber que os recursos serão diminuídos. Esperamos que isso não afete a qualidade do atendimento”, afirmou.

Em sua fala, o parlamentar destacou a importância de saber onde esse corte será feito. A intenção é averiguar se havia gasto irregular. “Onde esse dinheiro estava sendo utilizado? Nos serviços ou com comissionados e terceirizados dentro do Hospital? Esperamos as informações necessárias para ver se não havia desperdício de recursos. Torcemos para que o Governo informe isso para toda a sociedade”, assegurou Georgeo.

Fio de sutura

Ainda em sua fala, Georgeo apresentou em plenário um vídeo que expôs mais uma vez a falta de atenção com a saúde pública no Estado. Nele, aparecia um cirurgião que precisava fazer um procedimento de sutura em uma paciente após uma cesariana. Contudo, o fio disponível na unidade de saúde era de péssima qualidade, se desmanchando nas mãos do médico.

“É lamentável que coisas como essa aconteçam dentro de unidades de saúde do Estado. Segundo relato do médico, isso vem acontecendo há algum tempo. É algo sério e que pode gerar uma infecção ou pode abrir novamente a cirurgia por não ter uma qualidade boa. Esperamos que o Governo, através da Secretaria de Estado da Saúde, tome as medidas cabíveis, bem como investigue como um material de péssima qualidade chegou num centro cirúrgico. Por fim, tenho que pedir desculpas por não cumprir a nossa missão melhor enquanto deputado. Por ser incompetente, afinal, deveria fiscalizar melhor as ações do Governo para evitar cenas como esta”, finalizou o deputado.