Filmes começam a ser exibidos na campanha Alese contra o Racismo

Publicada: 06/12/2022 às 13:04

Por Aldaci de Souza – Agência de Noticias Alese

A TV Alese (canal 5.2) realiza durante todo o mês de dezembro, a campanha Alese contra o Racismo Audiovisual. A programação teve início com entrevistas no Jornal da Alese sobre o tema e segue com a exibição às sextas-feiras,  de filmes sobre a memória, a resistência, a cultura e a beleza da negritude sergipana. Na próxima sexta, 9 de dezembro será exibido o filme ‘O ano que a onça descansou’, com  direção de Yérsia Assis e Geilson Gomes. O filme  foi realizado no povoado de Aguada, em Carmópolis, interior de Sergipe 4e revela as memórias de um samba que não aconteceu. As motivações para o curta surgiram ainda em 2016, mas foi durante a pandemia, em 2020, que o roteiro foi ganhando novos contornos.

Para o diretor de Comunicação da Assembleia Legislativa de Sergipe, Irineu Fontes, “a Alese tem atuado fortemente em diversas frentes além do foco central que é legislativo. O poder de diálogo da Assembleia com a população é enorme. Estamos com diversas atividades com essa campanha que tem o objetivo de esclarecer sobre esse tema importante, crucial e que deve ser combatido. Ações como essa parceria com a curadoria do Egbé Mostra de Cinema Negro é importantíssima seja do ponto de vista da representatividade, da cultura, do audiosivual e/ou da identidade sergipana. Isso é também uma função de um emissora pública – como a TV Alese -, dialogar, diversificar e mostrar a população a importância do nosso dia a dia e da nossa cultura. A cultura local é sempre apaixonante, porque nos identificamos e é na identificação que nos reconhecemos e nos valorizamos enquanto povo sergipano, nos livrando inclusive das ideias preconcebidas presentes em muitos campos .Então, é necessário combater e mostrar ao povo o seu povo”, reforçou Irineu Fontes.

O Coordenador-geral da TV Alese, Benildon Santana, ressaltou que “pela primeira vez história da TV aberta sergipana, uma emissora abre o espaço para exibir filmes do cinema negro sergipano. São produções feitas por profissionais sergipanos e que a TV Alese começa a veicular nesse mês de dezembro. Toda sexta às 20h com reprises sábado e domingo. É a Assembleia Legislativa de Sergipe, através da TV Alese, mais uma vez fazendo história, valorizando sempre os talentos sergipanos, dessa vez na área do cinema”.

O coordenador de Jornalismo da emissora, o jornalista Thiago Aragão informou que a campanha envolve todos os setores da Comunicação da Assembleia Legislativa de Sergipe.

“Com isso, vamos ter a oportunidade de estar mostrando um pouco sobre as questões relacionadas ao racismo. A campanha iniciou com algumas reportagens sobre o assunto; fizemos matérias  mostrando onde a comunidade negra está, em Sergipe, a exemplo dos quilombos urbanos e culturais; mostramos a Maloca e estamos ainda produzindo outras reportagens que serão exibidas nos nossos telejornais. Para além disso, o Programa Elas no Comando fez a abertura, com a jornalista Aline Braga, nossa apresentadora negra, que discute pautas das mulheres e está à frente dessa campanha da TV Alese junto comigo”, ressalta acrescentando que no próprio programa discutiram temas relacionados à cultura negra.

Thiago Aragão destacou que a partir desde a sexta-feira, 2, às 20 h, a TV Alese exibirá com reprises aos sábados e domingos, uma sequência de filmes de produção sergipana, em parceria com a Egbé Mostra de Cinema Negro de Sergipe. “Desde o início do mês estamos veiculando filmes, mostrando a nossa gente negra em que as pessoas podem inclusive se identificar com a história de cada filme.Iniciamos com o filme Severo D’Acelino – revisitação, ressalta um baluarte na defesa das questões negras em Sergipe e leva o nome do estado para outras regiões. Na próxima semana teremos mais um filme inédito e na outra semana, mais um. É um start inclusive para um projeto maior que teremos no ano que vem com o objetivo de dar mais espaço ao audiovisual”, adianta enfatizando que também serão exibidos os filmes Aurora  e o Ano que a Onça descansou.

De Luciano Freitas, o filme “Severo D’acelino: revisitação” traz um registro importante de uma das maiores referências do cinema em Sergipe. “Aurora”, de Everlane Moraes, mostra o teatro como palco da vida, em que três mulheres de idades distintas reinterpretam seus conflitos no palco de um teatro abandonado. E “O ano que a onça descansou”, de Yérsia Assis e Geilson Gomes, celebra a cultura afro-sergipana, contada a partir de lembranças sobre o Samba de Aboio – festa/culto a Santa Bárbara/Iansã – realizado no povoado de Aguada, município de Carmópolis.
 
 
 
Foto: Jadilson Simões