Por Assessoria

Após o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgar as possíveis novas datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nesta quinta-feira (9), o deputado estadual Dr. Samuel Carvalho (Cidadania 23) utilizou suas redes sociais para criticar o novo calendário, que segundo ele, ignorou o resultado de uma enquete feita pelo Governo Federal que perguntava quando o exame deveria ser aplicado.

Segundo o deputado, não houve diálogo com os estudantes para definição da nova data. “Uma enquete foi feita para que os estudantes pudessem escolher a data. Segundo o Inep, o mês que recebeu mais votos foi maio, então o MEC deveria deixar a prova impressa para 2 e 9 de maio de 2021 e a digital para 16 e 23 de maio de 2021, mas ao invés disso, foi divulgado que o Enem impresso e digital pode acontecer nos dias  10 e 17 de janeiro de 2021, data que ficou em segundo lugar”, pontuou.

Dr. Samuel Carvalho explicou apesar de terem divulgado o resultado da enquete, ainda não foi definida a data da prova. “Nossos alunos já estão passando por muita dificuldade durante este ano por causa da pandemia, pois muitos não têm plataformas de ensino ou aulas regulares, muitos não têm internet, e isso dificulta a forma de estudo. Cabe agora ao Inep uma definição sensata. Eles afirmaram que vão ouvir entidades representativas das escolas públicas e as entidades de ensino superior. Vale ressaltar que o prazo para que o Inep defina isso é de duas a três semanas. Mas as inscrições do Enem não serão reabertas. Faço um apelo para que seja escolhido o que for melhor para os nossos alunos”, esclareceu.