Deputados Matos cobra reivindicações do povo de Glória e Dores ao presidente da Deso

Água é um direito do povo, mas a verdade é que nem todos tem água nas torneiras. A exemplo dos moradores do Povoado Tanque, em Nossa Senhora da Glória, que há cinco meses sonham com isso. A água que chega para eles é através de carro-pipa mesmo. E foi justamente para conhecer a realidade dessas pessoas que o deputado Moritos Matos foi até o município de Glória. E levou essa reivindicação e mais três solicitações para o diretor-presidente da Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso -, Carlos Fernandes de Melo Neto. A reunião aconteceu na quarta-feira, 4, na sede da Deso. “Ele explicou que já existe um estudo técnico em andamento. Eles farão uma nova tubulação e provavelmente fique pronta ainda este ano”, expõe Moritos Matos.

O parlamentar citou novamente ao presidente da Deso o pedido dos moradores as ruas: Boca da Mata, Oeste e José Francisco de Assis, localizada também em Glória, que pedem que a Companhia leve água potável até essas ruas. No local já existem algumas casas, mas muitos proprietários ainda não construíram suas residências por falta de água. E segundo o diretor-presidente da Deso, Carlos Melo, a ampliação da rede será feita. “Estamos fazendo um levantamento, porque são 600 metros de tubulação. E parte da tubulação existente nas ruas próximas terá que ser trocada, por causa da pressão”, explica o diretor-presidente da Deso.

A terceira demanda do deputado Moritos Matos foi sobre a Travessa 15 de agosto, em Glória, os moradores pedem que a Deso amplie a rede dessa rua que possui 17 casas. “Segundo Carlos Melo essa solicitação será resolvida o mais rápido possível, serão necessários 30 metros de tubulação”, expõe o parlamentar.

DORES

O deputado Matos também falou sobre a questão da caixa d’água do Povoado Campo Grande, localizado em Nossa Senhora das Dores, e também da reconstrução da escola Municipal Professor Osman dos Santos Oliveira. Essa escola foi parcialmente destruída, em novembro de 2017, quando caixa d’água caiu sobre o teto dessa escola e vitimou duas crianças e deixou 18 feridos. A caixa d’água pertencia à Deso e abastecia as casas do povoado Campo Grande. “As crianças estão tendo aula em uma associação de moradores do povoado e não é um local adequado, muito apertado. O presidente disse que a escola será reconstruída”, relata Matos.

De acordo com o diretor-presidente da Deso, Carlos Fernandes de Melo Neto, a Companhia estar comprometida com a escola e com o povo de Dores “Uma licitação será aberta no dia 6 de abril, vai ser construída uma nova escola. Tudo custeado pela Deso”, expõe Carlos.

E mais, a comunidade do Povoado Campo Grande, em Dores solicita uma nova caixa d’água. Porque desde novembro que o abastecimento de água ficou comprometido.

Por Ascom Parlamentar

Foto: Antônio Chagas

Outras notícias para você