Foi realizado na manhã desta sexta-feira, (25), Seminário com a finalidade de discutir a criação da Reserva Extrativista (Resex), do litoral Sul de Sergipe e preservação da mangabeira.  O evento aconteceu no plenário Deputado Pedro Barreto, a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Promovido pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados, a partir de requerimento do deputado federal João Daniel (PT/SE), o seminário tem iniciativa da deputada estadual Ana Lúcia (PT), também coordenadora da Frente Parlamentar Mista de Meio Ambiente, Segurança Alimentar e Comunidades Tradicionais.

Para o deputado federal João Daniel (PT/SE), a questão ambiental é uma das mais importantes no mundo. “Nós sergipanos que ainda temos uma possibilidade de criação de reservas de preservação, a exemplo das mangabas, precisamos dar o máximo de atenção. E como deputado federal, me comprometi com as comunidades desta região, para ajudar e defender a criação da Resex Extrativista Sul e a preservação da mangaba”, argumentou.

De acordo com a deputada estadual Ana Lúcia, a área da reserva a ser criada é de grande importância para os extrativistas, como pescadores e catadores de mangaba. “O Sul do estado é um local onde existem cortes violentos das mangabeiras, que servem de sustento de milhares de famílias e são arvoes que representam a sergipanidade”, justificou a deputada Ana Lúcia, solicitando urgência no decreto para a criação da Resex Sul.

Em entrevista, o representante do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Guedes, reforçou a proposta socioambiental, que respeita as famílias e conserva o patrimônio natural. “É por isso que estamos aqui, para trabalhar essas alternativas que garantam às famílias a renda do seu trabalho e que possam desenvolver e ao mesmo tempo proteger a natureza”, ressaltou.

A presidente do Movimento das Catadoras de Mangaba de Sergipe, Alícia Santana Salvador Morais, pontuou que a mangaba é o sustento das catadoras e a criação dessa reserva garante a continuidade de nosso trabalho. “Uma forma de sustento tradicional, hereditário que atualmente está ameaçada pela a escassez da mangabeira”, afirmou.

Visão do MME

O coordenador geral de Reservas, Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural do Ministério de Minas e Energia (MME), Clayton de Souza Pontes, afirmou que a criação da Resex Sul precisa ser repensada. “Existem estudos de avaliação ambiental na área sedimentar, onde a produção de recursos minerais não é admitida. Entendemos que, mesmo com a importância da reserva para o litoral sergipano é preciso cautela”, disse.

Clayton explicou ainda que Sergipe é um importante produtor do país, atualmente sua produção de petróleo e gás está estabilizada, mas com tendência de declínio, já que a bacia de Sergipe/Alagoas Terra é considerada madura. “No entanto, temos uma série de descobertas recentes, ocorridas em águas profundas, muito importantes para Sergipe e para o Brasil, que podem garantir a segurança energética e geração de emprego e renda”, concluiu.

Compuseram a mesa, o deputado federal João Daniel; a procuradora da República do Ministério Público Federal (MPF), Lívia Nascimento Tinoco; a deputada estadual Ana Lúcia, o coordenador Geral de Reservas, exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural do MME, Clayton de Souza Pontes; o deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL/PA), integrante da Comissão de Meio Ambiente; o prefeito do município de Indiaroba, José Leal; o coordenador de Criação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Adízio Lima de Oliveira Filho e o representante do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Guedes.

Por Tíffany Tavares, da Agência Alese de Notícias