Após ouvir a explanação do secretário de Segurança Pública, Mendonça Prado, sobre as ações planejadas para a pasta, o líder da oposição, deputado Capitão Samuel (PSL) avisou que vai aguardar 100 dias para que as ações sejam implementadas e aponte resultados positivos, no que diz respeito ao combate à criminalidade que assola todo o Estado.  “Vamos aguardar, afinal, o secretário está começando a trabalhar. Mas estamos atentos e vamos cobrar melhoria em todos os aspectos, a começar pelo salário e estrutura para que a polícia tenha condições de trabalhar”, disse, ressaltando que, na sua opinião,deve-se implementar  ações rigorosas de combate as drogas. “A droga é a grande vilã de todo esse processo de marginalidade”, observou. Em sua fala, Samuel lembrou que, no Projeto do Proinveste, aprovado pela Assembleia Legislativa há mais de um ano, havia previsão de se usar R$ 1,8 milhão para investir no combate às drogas, através de campanhas educativas e da construção de uma clínica de recuperação para dependentes químicos. “A sociedade sergipana ainda não viu nenhuma ação feita com esses recursos”, alertou o deputado. Ele ainda observou que, dos recursos federais para investimentos no combate ao crack, R$ 1 bilhão foi realocado para outras áreas por falta de projeto. “Falta planejamento. Tenho dito isso”, advertiu, ao acrecentar que  na minha opinião droga se combate com repressão, apreensão, cuidado e educação”. PARABENIZOU –  Numa demonstração clara de que tem feito uma oposição construtiva, Samuel fez questão de parabenizar Mendonça Prado pela força que revelou ter ao promover a reabertura das Delegacias Plantonistas, fechadas pelo atual governador Jackson Barreto, em outubro do ano passado.  “Que daqui 100 dias Vossa Senhoria tenha definido a política que vai implementar na segurança pública e que até lá os nossos policiais militares e civis se desdobrem para reduzir os números e garantir um pouco de sossego à sociedade”, disse Samuel, adiantando que, nesse prazo, espera que Mendonça retorne a Assembleia para mostrar o direcionamento que foi dado e quais os resultados colhidos. Samuel aproveitou para propor que Mendonça aproveitasse em sua equipe nomes como o do secretário da Justiça, Antônio Hora Filho, para contribuir com a política de planejamento, bem como Manoel Lúcio Neto, diretor do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe) para ajudar nas questões de superlotação nas delegacias e presídios. “Incluindo essas duas gestões: