Foi realizada na tarde desta segunda-feira, (28), audiência pública no plenário Deputado Pedro Barreto, da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), com a presença do ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Garbas, para proferir palestra sobre a reforma do sistema previdenciário nacional. A propositura do evento é do deputado estadual Luciano Pimentel (PSB).

De acordo com o deputado estadual Luciano Pimentel (PSB), a previdência é um tema importante e de interesse coletivo. “Nada melhor que o ministro Carlos Garbas, servidor de carreira, que tem um grau de conhecimento elevado sobre o tema, para nos dar informações sobre o sistema previdenciário brasileiro”, ressaltou.

Pimentel ainda opinou sobre o sistema da previdência em Sergipe. “O governo do Estado enfrenta grandes dificuldades, mas temos certeza de que, somando esforços e enfrentando a situação, encontraremos um denominador comum para solucionarmos o problema da previdência no estado”, disse.

 

Em sua palestra, o ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Garbas abordou sobre a sustentabilidade da previdência social, tanto em seu regime geral, como nos regimes próprios de Estados e municípios e propôs procurar soluções para o sistema previdenciário nacional e em Sergipe.

“Buscamos alternativas de sustentabilidade dos regimes próprios e aqui, como em todos os outros Estados, nós temos desafios a serem enfrentados em conjunto. Um deles é a transição demográfica, atualmente temos cerca de 20 milhões de pessoas acima de 60 anos e, daqui a 20 anos, teremos mais de um terço da sociedade brasileira de idosos”, esclareceu.

 

Convênio

Garbas explicou ainda sobre a assinatura do convênio de modernização realizada, nesta segunda-feira, (28), com o Governo do Estado de Sergipe. “Nós temos um programa de modernização da previdência social, com investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento e esses recursos serão aplicados na modernização da gestão da previdência aqui em Sergipe. Temos um recadastramento a ser feito, para identificar os pagamentos de forma correta e economizar recursos”, finalizou o ministro.
Por Tíffany Tavares, da Agência Alese de Notícias