Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

A Assembleia Legislativa de Sergipe promove audiência pública para debater  a situação da citricultura em Sergipe, nesta segunda (23), a partir das 9 horas, no plenário. A iniciativa é do líder do governo, deputado estadual Zezinho Sobral (PODE), em parceria com a Comissão Estadual da Citricultura.

Na oportunidade será apresentada a Carta Aberta “Revitalização da Citricultura das regiões Sul e centro-sul do estado como resultado do debate e das demandas levantadas pelos representantes dos municípios da região. São esperados no evento o governador Belivaldo Chagas (PSD), o secretário de estado da Agricultura, os secretários municipais, além dos prefeitos dos 14 municípios das duas regiões citadas.

Além dos deputados estaduais, também são esperados para participarem do debate, os 11 membros da bancada de Sergipe no Congresso Nacional (oito deputados federais e três senadores). Compõem a região citrícola os municípios de Arauá, Boquim, Cristinápolis, Estância, Indiaroba, Itabaianinha, Itaporanga, Lagarto Salgado, Santa Luzia do Itanhy, Pedrinhas, Riachão do Dantas, Tomar do Geru e Umbaúba.

Participa também do evento o presidente da Asserpor, Airton Santana, que lembrou da luta da entidade ao longo de 10 anos em defesa dos produtores rurais. “Nossa região encontra-se ameaçada por uma série de fatores, que vão desde o endividamento dos produtores até a ocorrência de diversas pragas e doenças que têm reduzido a produção e a produtividade dos pomares”.

Zezinho Sobral

Deputado Estadual Zezinho Sobral

O deputado Zezinho Sobral avalia que o debate será muito importante para os prefeitos e produtores das regiões Sul e Centro-Sul do estado. “A audiência tem o objetivo de convidar todos os deputados federais e senadores sergipanos para que eles destinem, das suas emendas pessoais, algum recurso para se trabalhar a questão da citricultura e fruticultura”.

Zezinho Sobral enfatizou que os representantes da região se comprometeram a apresentar proposta  e que irão solicitar da bancada federal os recursos necessários. “Por conta do déficit previdenciário, o governo não reúne condições financeiras de fazer. Nós vamos buscar a captação de recursos federais. Essa é a proposta”.

“A Emdagro vai trazer um plano e eles devem apresentar os custos disso e quanto poderá ser investido. Inclusive a responsabilidade pela convocação da bancada federal é dos mobilizadores do evento. Nós apoiamos, propondo a diversificação da citricultura e buscando novos rumos para o desenvolvimento dessas regiões”, completou Zezinho.

Fotos: Jadílson Simões