Por Luciana Botto- Rede Alese

Na manhã desta terça- feira (02), a Assembleia Legislativa de Sergipe, empossou os primeiros aprovados no concurso público realizado no ano passado, com publicação no Diário Oficial do Estado, edição nº 27.862 de 12 de janeiro de 2018, e as provas foram realizadas em 22 de abril pela Fundação Carlos Chagas.

Dos  96 aprovados, 39 foram convocados, 37 assinaram o termo de posse e dois pediram prorrogação para entrega de documentação. Os demais aprovados, segundo a diretoria da presidência, até o término da validade do concurso. A solenidade foi realizada no auditório Francisco Passos, da Escola do Legislativo, presidida pelo presidente do Poder Legislativo, deputado Luciano Bispo, com a participação das principais diretorias da Casa: diretoria geral da Alese, diretoria jurídica, diretoria administrativa, diretoria de comunicação, sindicado dos servidores do parlamento, além de presença dos familiares e amigos.

Em depoimento, o concursado/empossado  para o cargo de técnico administrativo, Alex Rodrigo de Oliveira, ele que é economista, natural do estado do Rio de Janeiro, falou que sua trajetória profissional que vem da iniciativa privada e durante 10 anos se dedica aos estudos de preparação para concursos públicos. “Já fiz concursos em diversos estados do Brasil e fui agraciado por essa aprovação, numa cidade tão legal que é Sergipe. Estou muito satisfeito e feliz”, disse Alex

 

A jornalista também empossada, Ana Rachel Gonçalves Pereira, a mais de há 10 anos atuando como autônoma, na área de vendas, disse que não havia perspectivas, nem vontade de ingressar no serviço público. Em seu relato, ela nos contou de como  a vida é cíclica, e de como os sonhos e planos podem também mudar, dando espaço para o novo, resgatando, inclusive, sua formação profissional. “Uma vez casada, com filho pequeno e marido morando em outro estado, a gente passa a repensar sobre a vida e valores. A gente passa a ter outras prioridades. E um dos caminhos interessantes seria concursos públicos, um projeto de família”. ressaltou Rachel

Ainda de acordo com Rachel, que obteve também aprovação em outros concursos,  o da Alese foi o único com convocação imediata. Para ela, a expectativa é de uma nova caminhada de vida dentro de uma outra perspectiva, inclusive de rotina, de resgate da profissão. “A gente sai da comunicação, mais a comunicação não  sai da gente, disse a empossada acrescentando, “hoje a gente sabe que o jornalismo e a comunicação em si, não está mais estanque. Como funcionária pública, a gente tem que servir ao público, e  a comunicação tem que servir ao público. A comunicação é um direito que dar acesso a outros direitos”, justificou Raquel

 

Fotos: Jadilson Simões