Em seu discurso na tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 14, a deputada estadual Ana Lúcia registrou que esteve na capital baiana na última sexta-feira, 10, a fim de conhecer duas experiências inovadoras na área da educação: A escola parque Anísio Teixeira e o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC), que fica no colégio central. “Fui conhecer essas duas experiência porque nós precisamos mudar a situação da educação aqui no Estado, que é gravíssima”, explicou.

Ela aproveitou para informar que pretende realizar pela Comissão de Educação Cultura e Desporto, da qual é presidente, um seminário com a participação de representantes da equipe de ambas as instituições a fim de apresentar o funcionamento das duas experiências exitosas no campo da educação. A proposta é que o seminário seja realizado na segunda quinzena de julho deste ano, em data próxima ao dia 12 de julho, quando seria comemorado o aniversário de Anísio Azevedo.

O Centro Juvenil de Ciência e Cultura é uma experiência inovadora de educação, que oferece, no contraturno escolar oficinas nos campos das artes, cultura e práticas corporais; linguagem e comunicação; ciências da natureza, humanidades e matemática e expressão quantitativa. “Trata-se de um centro de ciência e tecnologia que encanta e atrai a juventude, que promove o conhecimento e a inclusão social e onde a juventude da escola pública tem acesso a ciência e tecnologia”, elogiou Ana Lúcia, explicando que teve a oportunidade de conhecer o espaço através da mediação da deputada petista Maria Del Carmo.

Enquanto governador, Jacques Wagner criou duas unidade do centros: uma na cidade do sertão baiano de Nosso Senhor do Bomfim e outra na capital. Recentemente, explicou a deputada Ana Lúcia, Rui Falcão inaugurou mais uma unidade na cidade de Feira de Santana.

Já a segunda experiência visitada pela deputada Ana Lúcia, a Escola Parque, foi uma criação do grande educador Anísio Teixeira há 58 anos e que se tornou referência em educação e um importante espaço de pesquisa e de estudo dos educadores de todo o Brasil, tendo sido reconhecida pela UNESCO como modelo educacional. “A Escola Parque mantém viva não apenas a memória de Anísio Teixeira, mas acima de tudo a proposta de Anísio Teixeira”, completou a parlamentar.

Um dos aspectos mais interessantes da Escola Parque de Salvador, conta Ana Lúcia, é que ela desenvolve ações e projetos de integração com a comunidade, não apenas com os estudantes. A unidade de ensino funciona numa área de extrema pobreza, montada há 58 anos ao redor de casebres, onde hoje se constitui o bairro Liberdade, que concentra a maior população negra do mundo fora da África.

São experiências muito importantes, que não exigem tanto investimento em recurso, mas que precisam, acima de tudo, de vontade política para motivar essa juventude a frequentar a escola, a gostar de estudar, a terminar seus cursos, numa perspectiva de emprego, renda e inclusão social”, resumiu Ana Lúcia.

Por Ascom Parlamentar

Foto: César de Oliveira