Por Kelly Monique Oliveira

A Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), através da Secretaria Geral da Mesa Diretora (SGM), realizou na manhã desta sexta-feira, 23, treinamento sobre o novo sistema de votação remota que permitirá a realização de escrutínios secretos. O encontro aconteceu no plenário e contou com a participação dos assessores de comunicação dos parlamentares.  A reunião obedeceu todas as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), como o uso do álcool em gel e o uso de máscaras, conforme lei aprovada na Casa Legislativa, a fim de não contribuir com o avanço dos casos de COVID-19.

Secretário-geral da Mesa Diretora da Alese, Igor Albuquerque

De acordo com secretário-geral da Mesa Diretora da Alese, Igor Albuquerque, o sistema admitirá que os deputados registrem a presença no painel eletrônico, mesmo à distância. “Esse cenário de pandemia exigiu uma série de mudanças no comportamento do plenário. E para que a Casa pudesse manter suas atividades normais ou mais próximas da normalidade, realizando suas deliberações e produzindo legislações a favor dos sergipanos, a Casa passará a utilizar do mesmo sistema de votação utilizado pelo Senado Federal”.

Ele enfatizou que o novo sistema a ser utilizado no plenário é seguro, resguardando o sigilo do voto do parlamentar. “A Casa tem alguns vetos do Governo do Estado que estão pendentes de deliberação e como a Constituição exige que seja de secreta, a forma de votação mista, como tem ocorrido, não permite que aconteça essa deliberação. O sistema é muito seguro, ou seja, é de verificação em algumas fases. Então, por exemplo, existe todo um cuidado com a segurança para garantir que seja o próprio deputado a realizar esse voto. Então no momento do voto, no registro de presença, o sistema pede para ter a utilização da câmara do celular para que a pessoa seja fotografada”, explicou o diretor, enfatizando que a  data  para o início da utilização do novo sistema de votação ainda não está marcada.

 “A intenção de mostrar a funcionalidade do sistema aos  assessores parlamentares, é  fazer com que eles conheçam o procedimento, para que possam passar o conhecimento para os assessorados, os  auxiliando  na utilização do sistema”, declarou.

 Avanço tecnológico

Assessor parlamentar Gilson Sousa

Na oportunidade, Igor Albuquerque destacou a preocupação do presidente Luciano Bispo (MDB), juntamente com os demais deputados em garantir a segurança dos servidores, dos visitantes, e evidentemente dos próprios parlamentares. “Essa medida concorre para garantir a segurança e permitir que aqueles deputados que, por estarem distantes por serem do grupo de risco, não estarem frequentando a sessão presencialmente possam exercer na plenitude o mandato em que o povo lhes confiou nas urnas”.

O assessor parlamentar Gilson Sousa, participou do evento e parabenizou a iniciativa da Alese.  “O treinamento se faz necessário por se tratar de um sistema que requer cuidado pelo fato do voto ser secreto. Os deputados têm que estar ciente do que está acontecendo e o assessor fazendo esse treinamento terá todas as condições de passar para o deputado o que de fato deve ser feito para que o parlamentar tenha segurança no que de fato deve ser feito para realizar seu trabalho”, observou.

Fotos: Jadilson Simões