Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

Atendendo a uma propositura do deputado estadual Iran Barbosa (PT), a Assembleia Legislativa de Sergipe promoveu, na tarde dessa segunda-feira (20), uma Sessão Especial em comemoração ao Centenário de Dom José Brandão de Castro. Aberta pelo presidente e deputado Luciano Bispo (MDB), a sessão contou com diversas presenças, dentre elas o ex-governador Jackson Barreto (MDB); o desembargador Edson Ulisses, que representou o Poder Judiciário e a Academia Sergipana de Letras; o sobrinho do homenageado Antônio de Miranda Castro.

Diversos religiosos também estavam prestigiando a solenidade como o pároco do povoado de São Miguel em Propriá, Padre Isaías Nascimento; o Padre Jeferson Santos Pinheiro, que representou o Arcebispo de Aracaju, Dom Frei João José Costa; como também fez parte da Mesa, o atual prefeito de Propriá, Yokanaan Santana.

Falando em nome da Assembleia Legislativa, o deputado Iran Barbosa saudou os presentes dizendo que “prestar uma homenagem a Dom José Brandão de Castro é reconhecer a figura do grande líder religioso que extrapolou sua responsabilidade eclesiástica assumindo um papel fundamental na luta contra a falta de igualdade e contra as injustiças”.

Em seguida, Iran Barbosa ainda acrescentou que “ao prestar essa homenagem ele estende para todos os homens e mulheres que insistem no sonho e na luta por justiça social. Fico feliz pelo nosso mandato ter tido a oportunidade de prestar esse reconhecimento em um momento tão especial. Viva à luta de Dom José Brandão e de todos que o seguem”.

Bastante emocionado, o sobrinho de Dom José Brandão, Antônio de Miranda Castro, disse que a homenagem prestada por Iran Barbosa faz jus ao trabalho social que ele desenvolveu, especialmente, entre os mais pobres. “Para a nossa família o momento é de colher os louros da história de luta e superação de Dom José Brandão, que teve uma vida humilde, muito simples e que fez história por onde passou, ajudando o povo ribeirinho, os índios xocós, dentre outros”.

O Padre Isaías Nascimento diz que quando mais se produz sobre a biografia de Dom José Brandão, mais ele se recorda do Papa Francisco. “Ele lutou pelas desapropriações do Baixo São Francisco pedidas pela Igreja na década de 60. Esta celebração é um divisor de águas por seu amor aos pobres, por sua linha libertária. Dom José foi um pastor da Igreja que ofereceu sua estrutura em defesa dos mais oprimidos, ajudando na inclusão social e religiosa”.

Já o desembargador Edson Ulisses, também muito emocionado, pontuou que fez questão de dar seu testemunho como um morador de Propriá. “Dom José chegou àquela cidade, eu vinha de Porto da Folha, com ancestralidade Xocó, e lá eu cresci embaixo da saia dele, estudando no Educandário Santo Antônio. Muito religiosa, minha mãe era uma ‘ovelha’ daquele Pastor, e hoje sou desembargador do TJ graças a esse apoio da Igreja de Dom Brandão, que contribuiu demais e de uma forma definitiva para o resgate das terras indígenas”.

Fotos: Ascom Iran Barbosa