Durante Audiência Pública ocorrida na manhã dessa sexta-feira (11), no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), que tratou sobre o rio São Francisco, o deputado estadual Inácio Loyola (PSB/AL) afirmou que a morte do rio se deve ao pouco interesse da classe política.

“Eu tenho colocado que o maior problema que o nordeste enfrenta hoje, é a degradação do São Francisco, que é responsável por 75% do potencial hídrico da região nordestina, pela geração de 95% da energia da Chesf e por 300 mil hectares de projetos irrigatórios ao longo de sua bacia hidrográfica”, pontuou o deputado afirmando ainda que, nesses últimos 50 anos, nenhum rio no mundo perdeu tanta água quanto este.

Para Loyola, o problema fundamental é falta de importância que a classe política dá para o tema. “Nós temos tecnicamente soluções para a revitalização do rio São Francisco, a  verdade é que não existe interesse político nesse sentido. O rio são francisco começa a morrer pela sua região estuarina, que está entre Sergipe e Alagoas, isso é muito preocupante e é urgente que a classe politica, mais precisamente do nordeste, se manisfeste e se posicione em defesa da revitalização do São Francisco”, finalizou.

Ribeirinhos

Foto: Camila Ramos

Foto: Camila Ramos

A representante dos pescadores do município do Própria, Dilma da Silva Goes, relatou que o grupo já tomou medidas judiciais. “Entramos numa ação cível contra a Chesf, o Ibama e a Agência Nacional de Águas (ANA), por conta da vasão do rio, pois nós, que temos o contato direto com o São Francisco e que temos ele como meio de sobrevivência, é que estamos sofrendo com essa degradação. Essa vasão causou problemas na navegação, redução dos peixes e prejuízos na agricultura, precisamos que providências sejam tomadas com urgência”.


Por Camila Ramos – Agência Alese de Notícias