A data que homenageia a categoria profissional, é comemorada dia 27 de abril em homenagem à Santa Zita, considerada a padroeira das (os) empregadas (os) domésticas (os).

A Lei nº 5.859, de 11 de Dezembro de 1978, regulamenta a profissão de Empregado Doméstico, estipulando os direitos e deveres do profissional. No entanto, mesmo sendo oficializada, muitos profissionais da área reclamam das condições de trabalho, que são muitas vezes precárias.

“Calcula-se que são cerca de 6 milhões e 400 mil de domésticas, a maioria mulheres, que são sindicalizadas, mas que muitas ainda não estão com carteira assinada. Infelizmente ainda é um trabalho que muita gente explora, mas elas já conquistaram todos os direitos dos outros trabalhadores e aos poucos esses direitos estão sendo garantidos”, disse a deputada estadual Ana Lúcia (PT)”.

História da Santa

Santa Zita nasceu em 1218, na cidade de Lucca, na Itália, e trabalhou durante muitas décadas (desde os seus 12 anos de idade) para uma família italiana.

Zita era conhecida por ser bastante generosa com os pobres, sendo que tirava sempre o seu (pouco) dinheiro para oferecer aos menos favorecidos que sempre batiam à porta da família para a qual trabalhava.

A empregada doméstica morreu em 27 de Abril de 1978, e devido a sua fama de boa samaritana, o Papa Pio XII declarou-a como a “Santa das Empregadas Domésticas”.

Por Camila Ramos – Agência Alese de Notícias