Crime altamente rentável e de baixo custo, é assim que é classificado o tráfico humano e a exploração sexual. No Dia Internacional Contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças, comemorado neste 23 de setembro, lembramos a importância de se discutir o tema de forma ampla.

As Nações Unidas definem o tráfico de pessoas como o “recrutamento, transporte, transferência, abrigo ou recebimento de pessoas, por meio de ameaça ou uso da força ou outras formas de coerção, rapto, fraude, engano, abuso de poder ou uma posição de vulnerabilidade ou dar ou receber pagamentos ou benefícios para obter o consentimento para uma pessoa ter controle sobre outra pessoa, para o propósito de exploração”.

Segundo Ban Ki-moon, secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU), os traficantes focam em pessoas mais desesperadas e vulneráveis. “Precisamos fazer mais para proteger migrantes e refugiados — particularmente jovens, mulheres e crianças — daqueles que exploram sua esperança por um futuro mais seguro e mais digno”.

Por Camila Ramos – Agência Alese de Notícias

*Com informações da ONU