Por Assessoria Parlamentar
 
O diálogo e os estudos para a implantação do Plano de Gerenciamento Costeiro e do Zoneamento econômico-ecológico do litoral Sul de Sergipe seguem firmes. Desde 2019, comprometido na defesa do desenvolvimento e do turismo sustentável, o deputado estadual Zezinho Sobral (Pode) participou nesta quarta-feira, dia 01, de mais uma reunião com a Coordenação Estadual do Programa de Gerenciamento Costeiro (GERCO) e com representantes da Universidade Federal de Sergipe.
 
“Através do gerenciamento do litoral, Sergipe alcançará um alto patamar de competitividade com outros estados para a atração de mais investimentos na área turística. Conversamos com os técnicos do Gerco, com o departamento de Zootecnia e com representantes de comunidades tradicionais para discutir o tema e encaminhamentos necessários para o  gerenciamento costeiro e ecológico da região sul. A parceria com a universidade é essencial para criar e produzir o desenvolvimento social, preservando o meio ambiente agora e para o futuro”, afirmou Zezinho Sobral.
 
O Plano de Gerenciamento Costeiro e do Zoneamento econômico-ecológico consiste na promoção do ordenamento adequado do litoral sergipano sul através de soluções sociais, econômicas, ambientais e sustentáveis. Através dele, será possível quebrar entraves legais que inviabilizam o desenvolvimento econômico, turístico e social da faixa costeira sergipana há muitos anos.
 
De acordo com estudos do Plano, o Litoral Sul da Zona Costeira de Sergipe possui faixa terrestre que compreende o trecho que vai do rio Vaza-Barris até o rio Real, abrangendo os municípios de Itaporanga d’Ajuda, Estância, Santa Luzia do Itanhi e Indiaroba. Já a faixa marinha, estende-se por 12 milhas náuticas, medindo a partir das linhas de base estabelecidas de acordo com a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar.
 
“Turismo é dinheiro no bolso do sergipano, é abrir oportunidades com geração de emprego e renda. É preservação ambiental. Lutamos para que Sergipe tenha as mesmas oportunidades para fortalecer o turismo igual a Bahia, Alagoas e outros estados. Esse Plano destravará o desenvolvimento turístico de áreas como Caueira, Praia do Saco, Abaís, Crasto, entre outras. Com o Zoneamento e o plano de manejo das Áreas de Preservação Ambiental (APAS) em atividade, todos sairão ganhando: do micro e pequeno ao grande empreendedor”, reforçou Zezinho Sobral, destacando que Sergipe possui todas as condições para manter áreas de preservação ambiental e empreender um desenvolvimento sustentável sem a necessidade de inviabilizar atividades importantes para a economia. 
 
“Sergipe precisa dar um passo decisivo no gerenciamento costeiro e desenvolver o turismo sustentável, com foco na necessidade do povo sergipano. Todo empreendimento tem que ser sustentável para garantir o crescimento local e preservar o meio ambiente. Temos que pensar em todos os empreendedores e respeitar a preservação histórica e turística de todas as comunidades tradicionais. Desde o início das discussões, tenho compromisso com o povo sergipano para que nosso estado tenha o plano definitivamente implantado”, complementou Zezinho Sobral.