Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Zezinho Sobral (PODEMOS), foi entrevistado pelo radialista Eron Ribeiro, da Rádio Jornal FM, na manhã dessa terça-feira (14), quando tratou de vários pontos e fez um balanço do seu primeiro ano de mandato na Alese.

Questionado sobre a sua posição de líder do governo na Casa e sobre as discussões em torno das propostas do Executivo, Zezinho Sobral explicou que todas proposituras encaminhadas pelo governador passaram por discussões entre os parlamentares e muitas foram aprovadas por unanimidade.

“A nossa função é intermediar esse diálogo. Tudo que foi apresentado pelo governo foi discutido com os parlamentares e a maioria foi aprovada por unanimidade, porque houve consenso. É evidente que algumas pautas receberam votos contrários”, explicou o líder do governo.

ICMS do Milho

Na oportunidade, Zezinho celebrou o Decreto que reduziu de 12% para 2% da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para as operações interestaduais do milho em grãos. “Uma propositura nossa em conjunto com outros colegas deputados e a Federação da Agricultura e Pecuária de Sergipe (Faese) que apresentou os estudos”.

Ainda segundo o parlamentar, no Estado são cerca de seis mil produtores de milho que findaram sendo beneficiados. “Não temos grandes produtores. Com essa redução ganharam todas as pessoas envolvidas no comércio do milho e vem dando resultado. Isso estimulou a produção e atingiu todas as pessoas que vivem desse comércio, do transporte, da produção e da venda do milho”.

Queijarias

O deputado também deu ênfase a Lei que regulamenta a produção e a comercialização dos queijos artesanais em Sergipe. Zezinho foi o autor do texto que detalha processos, técnicas, tipos de queijos e derivados do leite produzidos artesanalmente, além de estabelecer critérios de qualidade. “A queijaria sendo regulamentada é algo positivo, não apenas pela tradição, mas porque ela equilibra o mercado do leite, processado diariamente, além de possibilitar o aumento da produção porque existe sim mercado suficiente para consumir”.

Zoneamento Costeiro

Zezinho também falou do Plano de Gerenciamento Costeiro de Sergipe e do Zoneamento econômico-ecológico de Sergipe, que visa promover o ordenamento adequado do litoral sergipano com soluções sociais, econômicas, ambientais e sustentáveis.

“Se você verificar a Bahia, a Praia do Forte em sua extensão pela Linha Verde existem vários resorts e hotéis; chega em Sergipe não se tem nada; entra em Alagoas eles inauguraram agora um hotel que a água passa por baixo. Nosso Estado não tinha legislação que estimulasse o desenvolvimento sustentável do nosso litoral. Agora o governo, por decreto, pode criar a Zona de Desenvolvimento do litoral sergipano”, comentou Zezinho Sobral.

Foto: Jadílson Simões