Dia 12 de Maio começa a Semana Nacional da Enfermagem que segue até o dia 20, são dias de homenagens ao profissional do cuidar, aquele que acompanha e observa o paciente em todo o processo de restabelecimento da saúde e na educação e na prevenção de doenças.

Em Sergipe, a Associação Brasileira de Enfermagem (Aben-SE), promove a 77ª Semana Nacional Brasileira da Enfermagem em homenagem aos 90 anos da Aben, com o tema “Construção Histórica e Política da Enfermagem”, na manhã dessa quinta-feira (12), no auditório do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE).

Fotos: Ascom Aben

Fotos: Ascom Aben

Para a presidente da Aben-SE, Maria Pureza Ramos de Santa Rosa, é um momento do debate em torno da valorização do serviço pelo profissional de enfermagem, do caminho que o enfermeiro tem percorrido em busca da ciência e muitos outros assuntos. “Em nossa programação teremos: atualizações científicas, homenagens aos enfermeiros, sessões de cuidados para os enfermeiros”, informou.

Maria Pureza explicou sobre a semana em homenagem ao enfermeiro. “A data marca o Dia Mundial do Enfermeiro, em referência ao nascimento de uma enfermeira pioneira no tratamento a feridos de guerra, Florence Nightingale. A semana de comemorações nacionais se encerra em 20 de maio – Dia Nacional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem – quando morreu a enfermeira Ana Néri, pioneira na enfermagem brasileira.

Pureza, parabenizou todos os profissionais pela sua indispensabilidade, pela grande importância que o enfermeiro no serviço de saúde e na vida do indivíduo da comunidade. “Precisamos continuar nesse caminho de fortalecimento da categoria profissional de continuarmos juntos nas lutas que conquistaram os espaços”, finalizou.

Uma das palestrantes, a enfermeira, deputada estadual Goretti Reis (PMDB), foi convidada para falar sobre a Gestão Política da Enfermagem. A parlamentar fez uma retrospectiva da importância do profissional, dentro do contexto da política da enfermagem, com um olhar de inserção do profissional na gestão da saúde pública. “Em vários ambientes, hospitalares, na rede pública, na secretaria de Estado da Saúde, temos os profissionais enfermeiros, que colocam a habilidade do dia a dia no momento de administrar. Ele terá mais possibilidade de fazer um bom planejamento, porque sabe da necessidade de produtos, facilita o relacionamento com a equipe”, observou.

Goretti continuo afirmando, que um bom gestor deve ser um líder e precisa ter o conhecimento técnico, boa interlocução com os parceiros. “O enfermeiro não pode mais ter uma visão única da técnica, de só aplicar uma injeção, colocar uma sonda. Dentro do contexto das políticas pública de saúde onde ele está inserido os enfermeiros precisa ter outras habilidades e a gestão é uma delas”.

Como representante da categoria no Poder Legislativo, Goretti lembrou dos projetos e propostas que tramitam no Senado e Câmara Federal, entre eles: a que solicita que o Ministério da Educação (MEC) autorize faculdades e universidade a oferecerem o curso de formação em enfermagem a distância (Ead), a regulamentação das 30 horas para o profissional enfermeiro e a definição do valor do piso, proposta em 2009 e que até hoje não foi definido.

Por Glice Rosa – Agência Alese de Notícias