Unale: Turismo Pós-Pandemia é discutido na Alese

Publicada: 27/12/2022 às 9:36

Por Stephanie Macêdo/Agência Alese

O avanço da vacinação trouxe um cenário mais otimista em relação ao enfrentamento da pandemia e os brasileiros  voltaram a colocar em prática uma das prioridades mais queridas durante o período de isolamento: viajar. Foi com esse intuito que a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) realizou na manhã desta segunda-feira, 24 de abril, o Seminário: ‘Perspectivas para retomada pós-pandemia’, evento idealizado pela Secretaria de Empreendedorismo e Turismo da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais, a Unale.

Autoridades políticas, e do setor de turismo debatem perspectivas e tendências para o turismo pós-pandemia

O evento foi aquecido por importantes debates, norteados pela realização de três importantes painéis de discussões: ‘Os Desafios e Oportunidades do Turismo na Nova Economia’, apresentado pela analista de competitividade, Ana Clévia Guerreiro; ‘Turismo: Reflexos e Perspectivas no Cenário Nacional’, tema debatido  pela professora doutora, membro do Conselho Nacional de Turismo, Andreia Roque e pelo ex-ministro do Turismo, atual técnico do Sebrae, Vinicius Lages. O terceiro painel, ‘Trade Turístico: Políticas Públicas, Estratégias e o Fomento do Ambiente de Negócios’, foi apresentado pelo secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Ministério do Turismo, Fábio Pinheiro. 
 
Os temas debatidos se encaixam e apontam que o fortalecimento da economia do país corre, sobretudo, pela retomada do turismo. Nos últimos anos, o setor tem sido responsável pelo emprego direto e indireto de 7 milhões de pessoas e que responde por 8,1% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas no país.
Presidente da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo da Unale, o deputado Luciano Pimentel destacou em sua fala que diante do cenário imposto pelo novo coronavírus, o turismo nacional registou perdas nunca antes vistas, quando o cenário de insegurança, em meio às medidas de distanciamento social, fez com que milhares de brasileiros cancelassem suas viagens e pôs em risco a sobrevivência do setor. 
 

Presidente da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo da Unale, deputado Luciano Pimentel preside mesa do seminário

“Considerando o impacto da recessão sem precedentes causada pela pandemia, na condição de presidente da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo da Unale, propomos a realização deste Seminário para discutir de que forma está ocorrendo a retomada do turismo no Brasil, e quais as ações que poderão ser implementadas para fortalecer o setor turístico e favorecer a sua plena recuperação”.
 
O deputado destacou ainda que dados emitidos pelo Ministério do Turismo apontam que em 2020, como reflexo da pandemia, a chegada de turistas internacionais para o Brasil caiu 66%, passando de 6,3 milhões em 2019 para 2,1 milhões em 2020, fazendo que o Brasil deixou de receber 4 milhões de turistas por causa da pandemia. Nesse contexto, o deputado Pimentel enxerga nesse momento a oportunidade de investimento para o turismo interno.
 
“Com a redução das viagens internacionais o turismo interno começou a ganhar mais espaço. O Anuário 2022 da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo destacou que, em 2021, 95.8% das viagens foram domésticas, enquanto apenas 4,2% dos passageiros buscaram destinos internacionais, em um ano que representa um aumento de 225% em relação a 2020 e 48% a mais que em 2019”, pontua.
 
Turismo interno

A analista de competividade, Ana Clévia Guerreiro

Para a analista de competividade, Ana Clevia Guerreiro, o turismo possibilita o desenvolvimento em diversos locais, baseado não só na sustentabilidade econômica, mas também ambiental e social. ” Se faz necessário uma nova leitura de cenário, porque, afinal de contas, a pandemia trouxe muitas mudanças, inclusive no comportamento do viajante”, salienta.
 
A palestrante revelou ainda, exemplificando a região Nordeste, que um produto demandado pelo turista internacional e pelo turista nacional é o sol e praia, mas que apesar dessa atração, a região tem complementos. “Nós temos um identidade cultural muito forte, muito própria, que passa por diversos elementos, seja pelas nossas manifestações culturais, seja pela gastronomia. Nós entendemos que esses outros aspectos da identidade nordestina precisam ser melhor explorados e melhor estruturados enquanto produtos turísticos”, revelou.
 
A doutora Andreia Roque, que preside o Instituto Brasil Rural e faz parte do Conselho Nacional do Turismo,  ao comentar que o turismo foi o primeiro a parar diante da pandemia e o último setor a retornar às atividades, destacou a importância de políticas públicas para criação de leis que invistam no fortalecimento do turismo no espaço rural.
 
“Historicamente o turismo sempre renasce, renasce forte. Renascemos nas crises, nas guerras”, disse, enfatizando o especial papel do Poder Legislativo sobre o turismo rural no Brasil, e que potencializa o turismo interno. “O legislativo nos dá base legal para criar novas ideias”, revela, enfatizando que como pesquisadora, observou que em Sergipe as Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPN) não são estaduais, só são federais.

Andreia Roque, presidente do Instituto Brasil Rural

” O Poder Legislativo que tem que legislar, criar uma lei própria, fortalecer as RPPN´s neste país. O Poder Legislativo vai ser essa força de legalização daquilo que está faltando”,
defendeu. 
 
Quanto às RPPN’s, elas viabilizam diversas atividades para a prática turística com perspectivas sustentáveis. Já o turismo rural, além do comprometimento com as atividades agropecuárias, caracteriza-se pela valorização do patrimônio cultural e natural como elementos da oferta turística.
 
Secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Ministério do Turismo,  Fabio Augusto Oliveira Pinheiro, destacou durante sua exposição, os feitos do Ministério do Turismo para a retomada da economia do Brasil. “Tivemos algumas iniciativas muito importantes no Ministério do Turismo para que pudéssemos estar aqui hoje e trazer esses números da retomada, o Brasil está acontecendo, o turismo está voltando a índices maiores, inclusive, que no período pré-pandemia”, avalia.
 

Secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Ministério do Turismo,  Fabio Augusto Oliveira Pinheiro

Fabio Pinheiro também destacou a importância do turismo natureza. ” O Brasil é um dos maiores destinos do turismo natureza no mundo, então a gente tem um potencial enorme para ser explorado. Por exemplo, no período Semana Santa para o feriado de Tiradentes, a gente já teve um crescimento de 38% do número de passageiros em aeroportos, a taxa de ocupação média do Brasil durante o feriado da Semana Santa foi de 75% dos leitos, tendo alguns Estados e municípios chegado a 90% de ocupação. Então isso mostra a força do Setor, isso mostra tem um importante papel para a economia brasileira”, revelou.
 
Diante dos apontamentos destacados pelos palestrantes e das inserções dos participantes durante as explanações nos painéis , o secretário nacional do Ministério do Turismo, Fábio Pinheiro, propôs que fosse elaborado um documento sobre demandas levantadas para apresentação no Congresso Nacional. 
 
Presenças
Secretários municipais de turismo de Sergipe, deputados estaduais associados a Unale, deputados estaduais de Sergipe, vereadores, representantes de empresas de agência de turismo, empresários do ramo de bares, hotéis e restaurantes, membros de instituições e conselhos ligados ao setor,  e autoridades políticas do Governo do Estado participaram do evento.
 
Entre os participantes, o  presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem ( Abav-SE), João de Souza Ávila, que no evento representou a Confederação Nacional do Turismo no Estado. Segundo colocou, o evento o primeiro momento de encontro entre os envolvidos com o turismo pós-pandemia.
 
“Hoje aqui estivemos com as maiores autoridades do turismo brasileiro, porque nós tivemos o Ministério do Turismo, nós tivemos a Coordenadoria de Turismo do Sebrae, a Diretoria do Sebrae, que hoje é ocupada por um ex-Ministro do Turismo. Nós tivemos uma professora, Andréia Roque, que é a maior autoridade em turismo brasileiro, e nós tivemos isso sob a coordenação da Unale, na Casa do Povo Sergipano. Que as propostas que saíram daqui hoje, ou que possam sair, possam ter reverberação nacional”, disse, enfatizando que entre as propostas estejam a que trata sobre são os  débitos no PRONAP. “Principalmente o pessoal de bares e restaurantes. Fomos amparados no momento adequado, mas agora precisamos ter efetivamente a solução final, dando condição pra que a gente prossiga no nosso trabalho em prol do turismo”, defendeu ele.
 

João de Souza Ávila, presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem ( Abav-SE).

Quem também parabenizou o evento foi o  presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes residente da ABRASEL/SE, Bruno Dória. Segundo declarou, o evento foi  muito importante o segmento no Estado.
 
” A gente sabe da importância do turismo na economia nacional. Sergipe tem muito ainda a desenvolver. Tivemos uma teia de inovações hoje aqui, várias informações a nível nacional e a gente tem que filtrar de uma maneira que a gente possa trazer para a nossa realidade. A gente sabe da importância desse mercado aqui e precisa unir todo o trade turístico pensando na  nossa realidade e com certeza tirar o melhor proveito para difundir esse setor que tanto precisa, que mexe com nossa cultura, nossas raízes, nossa gastronomia e o amor sergipano, o que é muito importante”, disse.
 
 
 
Fotos: Jadilson Simões