Aldaci de Souza

Os Títulos de Cidadania Sergipana são concedidos com a finalidade de prestigiar e agradecer às personalidades que contribuíram de alguma forma para o crescimento do estado. Nesse sentido, os deputados aprovaram na sessão mista desta quarta-feira, 18, em 2ª discussão, seis projetos de resolução para homenagear as pessoas que nasceram em outros estados, mas desenvolvem suas atividades em Sergipe. 

O primeiro, de autoria do deputado Georgeo Passos (CIDADANIA), homenageia professor Lysandro Pinto Borges, do Departamento de Farmácia da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Natural de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, ele é o responsável pelo projeto de testagem para a detecção da covid-19, visando identificar pessoas assintomáticas.

De autoria do deputado Talysson de Valmir (PL), foi aprovado o Título de Cidadão Sergipano para Dom Vítor Agnaldo de Menezes. Natural da cidade de Curaçá, na Bahia, ele atua como bispo de Propriá.

Da deputada Maisa Mitidieri (PSD) foi aprovado o projeto de Resolução que concede o Título de Cidadão Sergipano ao capitão dos Portos de Sergipe, Guilherme Conti Padão; natural do Rio de Janeiro.

De autoria da deputada Goretti Reis (PSD), os parlamentares aprovaram o projeto de Resolução que concede o Título de Cidadão Sergipano ao professor da Universidade Federal de Sergipe, Bernard Jean Jacques Charlot. Ele nasceu em Paris. Formou-se em Filosofia em 1967 e, dois anos depois, foi lecionar Ciências da Educação na Universidade de Túnis, na Tunísia.

Também foi aprovado, o projeto de Resolução que concede o Título de Cidadão Sergipano ao publicitário, jornalista e empresário baiano Maurício Meneses da Silva e o projeto de resolução, de autoria do deputado Luciano Bispo (MDB), concedendo o Título de Cidadania ao comandante do 2º Distrito Naval; André Luiz Silva Lima de Santana Mendes, também natural do estado da Bahia.

Os projetos de resolução seguem agora para a terceira votação e redação final.

Foto: Jadilson Simões