Solenidade no Palácio Museu abre Exposição Raízes da Arte

Publicada: 19/07/2022 às 15:52

18/07/22

Por Stephanie macêdo – Agência Alese

 

Na manhã desta segunda-feira, 18, ocorreu a Solenidade de Abertura da Exposição Raízes da Arte, mostra assinada pelos artistas plásticos Ismael Pereira e Israel Melo. A  exposição, que reúne 74 obras de arte, é fruto de uma parceria entre a Escola do Legislativo Deputado João de Seixas Dória (Elese/Alese) e o Palácio Museu Olímpio Campos (PMOC). A exposição, instalada no salão de Multieventos do Palácio , irá ocorrer até o dia 22 de agosto, das 10h às 17h, das terças às sextas-feiras. E no sábado, das 9h às 17h. 

Israel Melo, filho do célebre pintor e escultor Ismael Pereira, cresceu em um lar envolto pelas artes e demais expressões nordestinas. Ele conta que desde criança já se identificava com a arte de pintar, onde pinceis e tintas era um prazer sempre à mão. Mas foi na vida adulta, apesar da graduação em Arquitetura e Urbanismo, que Israel gravou a sua carreira como artista plástico. “Esse chamado para a pintura vem mais forte”, revelou.

Israel Melo conta que a sua arte foi influenciada por diversos artistas renomados,  regionais e internacionais “A influência da arte é universal, não focamos em um só artista ou determinado grupo. A arte é tão ampla que bebemos de fontes diversas, como  Leonardo da Vinci, Portinari,  Michelangelo, Inácio e seu filho Caã. A influência é regional, nacional e internacional e isso é muito forte para o artista plástico. Eu e meu pai, no auge dos seus 81 anos, bebemos de muitas fontes variadas. Eu tenho meu pai como referência da arte, e principalmente, como referência de vida, de amor e dignidade”, salientou.  Melo já ultrapassou o Brasil com suas artes, a exemplo da  França, Alemanha e  Holanda. “A força da arte transcende a Geografia, a maior paga de um artista  é o transbordar a sua arte”, enaltece.

Falar sobre Israel Melo é como se estivesse lendo a história de seu pai, Ismael Pereira, que é natural de Capela (SE). O artista plástico, ainda muito jovem, já demonstrava a forte inclinação e vocação para as artes. Quando criança, fazia pinturas e desenhos com o que possuía à mão, desde um pedaço de carvão a um toco de lápis. “Primeiramente, agradecer a Deus por mais esse exposição. É um feliz privilégio estar nesse espaço, mas, minha obra e a do meu filho, é só uma moldura, a verdadeira obra de arte são às pessoas que vieram e virão nos prestigiar”, declarou o artista, que é um homem simples, leve e rico, como sua arte. Apesar de sergipano, foi em Alagoas, mais especificamente em Arapiraca, que  Israel pereira construiu a maior parte de sua carreira.

Curador

O curador da exposição, Arivaldo Chagas, que é o coordenador de Projetos Especiais da Elese, comemora a inauguração da Exposição Raízes da Arte. Segundo destaca, a mostra foi inspirada em exposições que ocorreram país à fora, como no Petit Palais, em paris, e em Tóquio, no Japao –  locais visitados pelo curador. 

“Das 74 obras, 10 delas estão distribuídas no Espaço Multieventos do Palácio Olímpio Campos, com o objetivo a estimular a visitação em todo o espaço, além do salão onde estão a maior parte das obras da exposição”, disse.  Arivaldo destaca ainda que, em função da parceria entre o Palácio e a Elese, duas obras dos artistas que assinam a exposição estão instaladas na Escola do Legislativo. “São obras de chamamento aos visitantes para se direcionarem ao Palácio Museu. Nos expositórios das obras temos frases dos artistas, dissertando sobre as obras pessoais”, explicou, enfatizando que a parte da expografia da mostra contou com o apoio de Mario Portugal e Ana Caroline .

A diretora da Escola do Legislativo (Elese/Alese), Izabella Mazza, ressalta a  importância da exposição. “É um enorme prazer receber essa exposição que nos orgulha, de Ismael e Israel,  artistas de porte. E  junto com o Museu, com essa parceria, estarmos mais uma vez abrindo às portas para os sergipanos conhecerem a sua história, arte e cultura, esse é o nosso principal objetivo”, externou Mazza.

Momento Cultural

A solenidade contou com a apresentação cultural da Companhia de Arte da Alese (Cia de Arte), que na ocasião do evento apresentou a peça “Balaio de Cantos, Contos e Encantos”. Também, do Coral da Assembleia Legislativa de Sergipe, o Colares, momento em que os musicistas cantaram músicas de artistas nacionais. E ainda, da participação da interprete, Dirce Nascimento, que na ocasião do evento declamou a poesia, Monólogo das Mãos.

 

 

Fotos: Jadilson Simões

Outras notícias para você