Símbolos valorizam a identidade do povo sergipano

Publicada: 13/10/2022 às 11:54

Matéria escrita em 3/8/2022

Por Ethiene Fonseca/Agência de Notícias Alese

Os símbolos ajudam a contar a história de um povo. Por meio de elementos que fazem parte do imaginário local, os sergipanos conseguem se reconhecer como parte integrante de um Estado que possui uma história com lutas, desafios e desenvolvimento. O papel dos símbolos é tão importante que a Constituição Estadual estabelece alguns elementos para representar a identidade local, como a bandeira, o hino, entre outros estabelecidos por lei.

O Hino é o símbolo mais antigo de Sergipe, tendo sido criado no século XIX. A letra retoma a história da Emancipação Política do Estado, que até 1820 fazia parte do território da Bahia. O Hino celebra essa independência, convidando os sergipanos a festejarem.

De acordo com a presidente do Instituto Geográfico e Histórico de Sergipe, Aglaé Fontes, o Hino reflete o contexto histórico em que ele surgiu. Ela explica que a composição é de autoria do frei Santa Cecília, sendo baseada em poema do professor Manoel Joaquim de Oliveira Campos.

Selo faz parte da história de Sergipe. Imagem: JL Política

“A sua composição se deve ao frei Santa Cecília e a letra é um aproveitamento de um poema do professor Manoel Joaquim de Oliveira Campos. Todos estavam em São Cristóvão nessa comemoração em 1836, comemorando a independência, que já tinha acontecido em 1820. Uma grande festa. Mas era preciso de uma coisa fundamental: música. Foi encomendado ao frei a música aproveitando o poema que já existia do professor Manoel Joaquim, ‘Dias Brilhantes’”, explica Aglaé.

Símbolos sergipanos

O segundo símbolo mais antigo de Sergipe é o selo, criado pela Lei nº 2, de 1892, proposta pelo deputado e professor Brício Cardoso. A Lei criou o grande selo, para ser usado pelos chefes do Poder Executivo, Legislativo e Judiciário; e o pequeno selo, para as demais autoridades.

O selo traz a imagem de um indígena embarcando em um aeróstato, uma espécie de balão de ar. No topo, a palavra ‘Porvir’. Abaixo, a legenda ‘Sub Leg Libertas’ e a data ‘18 de maio de 1892’. Com o tempo, o selo passou a ser usado como brasão, sofrendo modificações, até que, em 2019, a Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) aprovou a Lei 8.504, que traz normas para a utilização dos símbolos oficiais.

Outro elemento que faz parte da identidade do povo sergipano é a Bandeira. Criada em 1920, pela Lei 795, ela foi confeccionada a partir de elementos de outra bandeira idealizada pelo industrial e comerciante José Rodrigues Bastos Coelho para representar sua companhia de navegação. O símbolo representou o estado durante anos, tornando-se a bandeira oficial em 1920 após projeto de iniciativa dos deputados Gentil Tavares da Mota, José Sebrão de Carvalho e Edson Lacerda.

Foto: Marcelle Cristinne/ASN/Divulgação

 

Outras notícias para você