Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

“Todas as pessoas correm o risco de cair, independentemente da idade, o que implica em riscos de lesões. Entretanto, para a pessoa idosa, uma queda pode representar um grave problema. Nessa faixa etária, os riscos de fraturas são maiores, levando, inclusive, a limitações funcionais que antes não existiam”.

A justificativa acima é do deputado estadual Dr. Samuel Carvalho (Cidadania), que conseguiu aprovar, na Assembleia Legislativa, uma indicação onde ele solicita ao governo do Estado que se desenvolva campanhas publicitárias e as mais variadas formas de comunicação que apresentem orientação acerca dos cuidados para evitar quedas e fraturas no público idoso.

O parlamentar traz ainda um dado “assustador”: um aumento em mais de 90% das mortes provocadas por quedas em Sergipe. Segundo ele, no Brasil, cerca de 32% dos idosos com faixa etária de 65 a 74 anos caem pelo menos uma vez no ano. O risco desse tipo de acidente pode ultrapassar 51% entre pessoas acima de 85 anos e, em média, 70% dos casos ocorrem dentro da própria residência.

“As quedas podem ter sérias consequências físicas e psicológicas, incluindo lesões, hospitalizações, perturbação da mobilidade, medo de cair novamente, restrição da atividade, declínio funcional e até mesmo a morte. As fraturas decorrentes de quedas são responsáveis por, aproximadamente, 70% das mortes acidentais em pessoas acima de 75 anos. Idosos apresentam 10 vezes mais hospitalizações e oito vezes mais mortes consequentes de queda”, pontua o deputado.

Por fim, o Dr. Samuel pede atenção para as quedas que ocorrem com idosos e que estão relacionadas aos altos índices de morbimortalidade. “Por estarem mais tempo em casa, os idosos têm impacto negativo na funcionalidade, especialmente pelo processo natural e progressivo. Em Sergipe, de acordo com o IML, de 17 de março a 5 de julho foram registradas 58 mortes”.