Adequar à Lei Estadual de Sergipe à Lei Brasileira de Inclusão (LBI). Essa foi a reivindicação feita por Ricardo Mesquita Barbosa, apoiador da Comissão das Pessoas com Deficiência da Ordem dos Advogados de Sergipe (CEDPCD-OAB), durante palestra sobre o Dia da Pessoa com Deficiência.

Durante sua participação no fórum – cenário promovido pela propositura do deputado Garibalde Mendonça,  ocasião contou com a participação de instituições que trabalham com pessoas deficientes  –  Ricardo Mesquita fez menção ao peso que a pessoa com deficiência carregou desde os primórdios da vida em sociedade.

“Na antiguidade a pessoa com deficiência era segregada da vida social. Onde o próprio Cristo em seu ministério, curando o que a bíblia chamava de “coxos”. Esses éramos nós, pessoas com deficiência”.

Ainda historiando, conta, “vivíamos em guetos. Veio a idade média, conhecida como idade das trevas, onde havia a perseguição das pessoas com deficiência, tida como amaldiçoada, matando a milhares. Para nossa felicidade, veio a Revolução Francesa, e aboliu essa perseguição de morte as pessoas vulneráveis”, emociona com a história vivida pela pessoa com deficiência até melhorias reconhecidas pela Constituição Federal.

Lei 13.146/2015

Ricardo Mesquita pede aplicação da Lei Brasileira de Inclusão em Sergipe

Ricardo Mesquita pede aplicação da Lei Brasileira de Inclusão em Sergipe

Por fim, Ricardo Mesquita ressalta a aprovação da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), também chamada de Estatuto da Pessoa com Deficiência, que beneficiou 45 milhões de pessoas. “A LBI é um grande avanço para nós. E com essa lei a minha reivindicação nessa fala é que a Lei Estadual se adeque ao Estatuto da Pessoa Com Deficiência”, apela.

Por Agência de Notícias Alese

Fotos: Jadilson Simões-Alese