Na última sexta-feira, 29, a Assembleia Legislativa de Sergipe, através da Comissão de Educação e Desporto, presidida pela deputada Ana Lúcia (PT), realizou o seminário “As Experiências que Deram Certo na Educação Pública”, que teve na pluralidade dos casos apresentados e na diversidade dos conceitos pedagógicos aplicados no processo de ensino e aprendizagem a sua principal característica.

O evento contou com a participação de representantes do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque localizado em Salvador e criada pelo intelectual e educador Anísio Teixeira há 66 anos,  dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura do Estado da Bahia e da Escola Municipal Francisco José dos Santos, situado no projeto de assentamento Oito de Outubro na zona rural de Simão Dias-SE. As três experiência têm em comum ,a centralidade no estudante, a discussão e a construção do projeto pedagógico de forma coletiva, com a participação dos professores, pais e estudantes. Outra característica importante é o respeito ao conhecimento do professor, além da relação constante com a comunidade.
 O diretor do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, Gedean Ribeiro do Nascimento e sua equipe formada pela coordenadora pedagógica, Ivonete Amorim, e pelacoordenadora do Núcleo de Pluralidade Artística, Silvana Pereira, falou sobre o funcionamento e os princípios anisianos que norteiam o projeto político-pedagógico da instituição. Eles relataram que a Escola Parque trabalha com educação integral e realizam ações que envolvem arte, esporte, tecnologia e desenvolvimento de habilidades a partir de oficinas de paisagismo, jardinagem, marcenaria, entre outras. Em sua exposição, o diretor Gedean Ribeiro ainda comentou sobre o caráter democrático adotado pela direção. “Quando nós internalizamos essa concepção de aceitar o outro na sua plenitude, sem barreiras, nós possibilitamos que a função social da escola seja compreendida, e essa função é a de explorar as nossas capacidades potencialidades humanas. Sabemos que todos nós temos diversas capacidades, competências e habilidades e a escola é o lugar ideal para que essas características sejam desenvolvidas”, pontuou.

Foto: Ascom Parlamentar

A gestora da escola, Cristina Alves, fez uma apresentação sobre o projeto político-pedagógico da Escola Municipal Francisco José dos Santos, localizada no Projeto de Assentamento Oito de Outubro em Simão Dias. Ela também falou sobre a pedagogia da terra, em que a cultura do assentado gera a motivação para o processo de ensino e aprendizagem. O educador José Adérico Cruz do Nascimento, que é um dos coordenadores do setor de educação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) fez um resgate histórico a respeito da criação da mesma escola. “Essa escola é fruto da luta de trabalhadores rurais sem-terra, que conquistaram o direito a esse assentamento 1998 e compreenderam que somente a conquista da terra não era o suficiente para se viver com dignidade. Eles perceberam que a luta por outros direitos também tinha que existir. Foi então que começou o processo de luta por uma escola no assentamento”, explicou.
Já o coordenador dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura do Estado da Bahia, Iuri Rubin, destacou o conjunto de atividades que os Centros a realizam em Salvador, na Escola Central, localizada no bairro Nazaré e em outros municípios do estado. São oficinas que incluem simulação de voo, robótica, fotografia, astronomia, animação entre outras. O coordenador também falou sobre a metodologia adotada na busca pela ampliação da jornada escolar e pela diversificação do currículo dos estudantes. “Nós entendemos que a escola não é apenas a sala de aula ou espaço fechado entre quatro paredes no colégio. Nós já levamos estudantes para museus, sítios arqueológicos, galerias de arte, feiras e vários outros espaços e eventos. Nós temos estudantes que inclusive já apresentaram trabalhos científicos, sob orientação dos professores, nos encontros da SBPC no Acre e nesse ano em Porto Seguro-BA”, afirmou.
 Intercâmbio
A deputada estadual Ana Lúcia ressaltou a importância da realização do seminário como uma forma de promover um intercâmbio entre as práticas pedagógicas no processo de ensino e aprendizagem. “Nós temos escola em todo o Brasil cujo trabalho docente junto aos pais e estudantes tem gerado um ensino de qualidade. É preciso que haja essa troca de experiências para que nós possamos ter uma escola que , democrática e que socialize a ciência e o conhecimento e que trabalhe com as diversas expressões culturais do nosso povo”, salientou.
Fonte:  Assessoria Parlamentar