Assuntos relacionados à saúde do homem serão abordados com o urologista Luciano Franco

A saúde do homem será tema de uma Live, a ser promovida nesta quinta-feira (11), às 19h, pela deputada estadual Maria Mendonça (PSDB), em seu perfil no Instagram (@mariamendonca.se), da qual participa, como convidado, o médico urologista Luciano Franco. Em pauta, a saúde do homem. “Estamos no mês dedicado à Campanha Novembro Azul e nada mais oportuno que tratarmos do autocuidado e, especialmente, do câncer de próstata, segundo tipo mais comum entre os homens”, disse.

A parlamentar lembrou que desde 2016, Sergipe conta com a Lei 8176, fruto de um Projeto de Lei, de sua autoria, instituindo no calendário Oficial do Estado o “Novembro Azul”, iniciativa mundial voltada às iniciativas que visam a conscientização sobre a saúde do homem, o autocuidado e a promoção de diversas outras ações educativas e preventivas de combate à doenças que podem ser evitadas ou tratadas precocemente.  

“Infelizmente, é cultural essa resistência dos homens em procurar um profissional para fazer um check-up de rotina. E isso acaba gerando sérios problemas, pois quando descobrem algumas doenças, elas já estão em estado avançado e, muitas vezes, em situações irreversíveis”, ressaltou, lembrando que no caso do câncer de próstata, conforme relatam especialistas, quando descoberto em sua fase inicial, tem mais de 90% de chances de cura.

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto (parte final do intestino grosso). A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

Em todo o Brasil, a expectativa é de que mais de 65 mil casos sejam diagnosticados durante este ano. Por isso, o rastreamento anual é indicado a todos os homens a partir dos 50 anos de idade, por meio do exame de toque retal e da dosagem sanguínea do Antígeno Prostático Específico (PSA).