A deputada Maria Mendonça (PP) prestou a sua irrestrita solidariedade aos mais de 200 trabalhadores da Santista Têxtil demitidos ontem, bem como os demais pais de famílias que serão dispensados até dezembro próximo, quando a indústria fechará as suas portas.

“É com muita tristeza que recebemos essa drástica notícia, onde mais de 200 pais de família são mandados embora, sem qualquer perspectiva de serem aproveitados pelo mercado de trabalho e nem de sustentar as suas famílias”, reclamou Maria.

A deputada sugeriu que o Governo do Estado encontre, junto com a direção da empresa, uma alternativa para que esses pais de famílias não sejam simplesmente colocados no olho da rua.

“Isso é desastroso e é preciso haver uma tomada de posição. Faz-se necessário que o Governo, ao menos, avalie a possibilidade de encontrar uma saída que garanta a sobrevivência desses trabalhadores”, afirmou Maria, ao rogar que o “Espírito Santo de Deus ilumine o coração do governo federal para que esse país saia da crise e as empresas não continuem sendo fechadas e mais famílias fiquem desempregadas”.

Reflexos da crise – Para Maria Mendonça todo esse processo de dificuldade é fruto dessa tão propalada crise econômica que vem se arrastando há anos e que tem trazido sérias consequências, não só para a iniciativa privada, mas também para o setor público.

“Tudo isso é desesperador e monstruoso. Muitos micro e pequenos empresários têm fechado as portas, trabalhadores vêm sendo pegos de surpresa com fechamento de empresas, resultando no desolador desemprego. “Isso faz com que homens e mulheres não saibam o que fazer e nem como suprir as necessidades das suas famílias.

Maria lembrou que dificuldades idênticas são enfrentadas pelos prefeitos municípios. “Observamos os gestores públicos, por exemplo, enfrentando sérias dificuldades em virtude da queda de uma importante receita que é o Fundo de Participação dos Municípios. O FPM, a cada dia fica mais reduzido”, afirmou.

Por Ascom Parlamentar