Por Assessoria Parlamentar

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) apelou para que o Governo envie, à Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei que regulamente a presença de psicólogos e assistentes sociais em equipes de unidades de ensino no âmbito do Estado de Sergipe. O apelo foi feito durante sessão especial, promovida pelo deputado Iran Barbosa (PT), e contou com a participação da assistente social Itanamara Guedes e do psicólogo Naldson Melo Santos.

Durante a sessão, discutiu-se a respeito do cumprimento da Lei Federal 13.935/2019, que trata da inserção desses profissionais nas redes públicas de educação básica de todo o país. “A nossa Casa Legislativa tem lutado para que assistentes sociais e psicólogos sejam inseridos nas escolas e, lamentavelmente, até hoje não conseguimos”, disse Maria, lembrando que já foi aprovada, por unanimidade, a Indicação 105/2021 pedindo a efetividade da lei. “Até agora, no entanto, o governador Belivaldo Chagas não se sensibilizou e não garantiu o que pedimos”, disse.

Maria reforçou que oferecer atendimentos de psicologia e serviço social nas unidades de ensino da educação básica, além de ser dever do Estado, beneficia a todos os envolvidos no processo educacional. “Quando nós aprovamos a Indicação foi para que tivéssemos uma melhor qualidade no processo de ensino-aprendizagem. Infelizmente, não conseguimos chamar a atenção do Governo, mas os psicólogos e assistentes sociais contam com o nosso apoio e continuam lutando para garantir os seus direitos”, explicou.

A deputada ressaltou que, neste momento pandêmico, faz-se ainda mais necessário ter esses serviços à disposição da comunidade escolar junto à equipe técnico-pedagógica. “Professores estão trabalhando de uma forma que faz com que nos questionemos o quão grande deve ser suas angústias e desesperos. Nas aulas remotas, muitos alunos têm dificuldade de participar”, disse.

Ela contou que o docente prepara uma aula “que começa com um, dois alunos e no final não tem mais ninguém. Isso tem sido muito estressante para eles. Precisamos fazer a nossa parte para que esse sentimento de aflição passe”. Ela frisou que “a presença de psicólogos e assistentes sociais será de fundamental importância para ajudar alunos e professores, especialmente, nesse processo tão complexo provocado pela Covid-19”.